quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Prefeitura de Belém terá audiência de conciliação com o Sintepp no dia 18



As Câmaras Cíveis Reunidas, do Tribunal de Justiça do Pará, jugaram, nesta terça-feira, 16, o mandado de segurança impetrado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Pará (Sintepp), que requeria o pagamento dos dias paralisados durante a greve deflagrada pelos professores da rede municipal de ensino no período de 26 de maio a 26 de junho deste ano. A decisão judicial não se referiu aos descontos que a Prefeitura de Belém já havia efetuado, apenas determinou a não efetivação de novos descontos na remuneração dos servidores que aderiram à greve do Sintepp até a realização da audiência de conciliação, marcada para a próxima quinta-feira, 18.

Na liminar, o juiz convocado, relator José Roberto Pinheiro Maia Berreza Junior, afirma que “a liminar pleiteia para determinar que a autoridade coatora se abstenha de realizar novos descontos na remuneração dos servidores que aderiram ao movimento paredista relativos aos dias de greve até ulterior deliberação. Quanto aos demais pontos articulados na inicial, apreciarei em cognição exauriente, após devidamente instruída a presente ação.”

Vale ressaltar que, no inicio deste mês as Câmaras Cíveis Reunidas já haviam julgado e negado o recurso do Sintepp, que requeria o não desconto dos dias parados dos profissionais que grevaram.

A Secretaria Municipal de Educação reitera que apenas 475 servidores aderiram à paralisação do Sintepp e tiveram os descontos em folha. Descontos, estes, realizados em respeito aos 88% dos professores que não concordaram com a greve e mantiveram o cumprimento de seus horários, garantindo o recebimento normal de seus vencimentos.

A Semec ressalta, ainda, que o salário dos professores da rede municipal é o maior entre as capitais do país. A remuneração do professor da educação básica está acima do piso nacional anunciado pelo Ministério da Educação. Segundo os dados do Ministério, o novo piso é de R$ 1.697, 00. Porém, a Prefeitura de Belém paga, desde o início do ano de 2014, o reajuste dado ao salário mínimo, que é de 6,78%, portanto acima da inflação, que foi de 5,91%.

Com o reajuste o professor com 40h semanais passou a ganhar R$ 1.918,60 de piso somado às vantagens, ou seja, 100% de escolaridade, regência de classe e abono salarial, o que perfaz um total de R$ 4.239,73 para o recém concursado.

A Prefeitura de Belém vem priorizando a educação no município. Inúmeros investimentos estão sendo feitos na melhoria da estrutura física da rede escolar e na qualificação dos profissionais que atuam na Secretaria Municipal de Educação. São novas escolas, ampliações e reformas das existentes, entrega de um novo centro de formação para os professores, formação continuada para docentes, técnicos e pessoal de apoio, entrega de tablets, Vale Livro, merenda escolar de qualidade e transporte eficaz para os alunos das ilhas e distritos.

Todo este investimento tem um único objetivo: oferecer uma educação de qualidade para todos os alunos da rede municipal de ensino e melhores condições de trabalho e evolução profissional aos docentes.

Texto: Andreza Carvalho
Foto: Ascom Semec
Secretaria Municipal de Educação (SEMEC)

 

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

8ª edição do Prêmio Professores do Brasil



O prazo para inscrições do Prêmio Professores do Brasil foi prorrogo até dia 22 deste mês. As inscrições devem ser feitas no site http://premioprofessoresdobrasil.mec.gov.br/

Estão aptos a se inscreverem todos os dois milhões de professores das três etapas da educação básica, atuantes nas redes públicas. Basta-lhes apresentar uma prática pedagógica criativa e inovadora (em andamento ou já concluída) e formalizar a inscrição. É muito importante que o trabalho seja registrado, através de fotografias, vídeos e relatórios ou anotações, para que profissionais do ensino, de outros lugares do país, possam conhecê-lo e se inspirar nele.

Neste ano, o Prêmio Professores do Brasil foi dividido em temas livres e temas específicos. Os temas livres são: Educação Infantil, séries iniciais do Ensino Fundamental, séries finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio. Já os temas específicos são Educação Integral e Integrada (programas Mais Educação e Ensino Médio Inovador; e outros que oferecem a jornada escolar ampliada e ênfase na formação integral dos estudantes), Ciências para os anos iniciais do Ensino Fundamental, Alfabetização nos anos iniciais do Ensino Fundamental e Educação digital articulada ao desenvolvimento do currículo. 


Professores recebem formação sobre Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade





O Centro de Referência em Inclusão Educacional Gabriel Lima Mendes – CRIE, vinculado à Secretaria Municipal de Educação (Semec), promoveu nesta sexta-feira, 12, a formação “As Dificuldades do Aluno com Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade e as possibilidades de inclusão na Rede Municipal de Ensino de Belém”, voltada para os professores que realizam o atendimento nas salas de recursos multifuncionais, que atendem os alunos com deficiência.

O encontro foi realizado no centro de formação de professores, como parte da série de formações continuadas que vem sendo ofertada. Com isso, a CRIE busca sensibilizar ainda mais a categoria e ampliar os conhecimentos dos docentes para melhorar o desenvolvimento dos alunos, observando a limitação de cada um. Para subsidiar os estudos, os participantes receberam a Cartilha "TDAH - Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade - uma conversa com educadores” on line para estudo e pesquisa na área. As formações são realizadas a cada sexta-feira, sempre com um tema diferente.

Quem ministrou a formação foi Margareth Carvalho, mestre em Educação e pós graduanda em Neuropsicologia. De acordo com ela, não há nenhuma Lei que ampare o atendimento destes alunos de forma diferenciada nas instituições de ensino, salvo no município do Rio de Janeiro, que possui legislação própria sobre o tema. Uma das metas do Núcleo de Atendimento Institucional com TDAH do CRIE é ter subsídios para propor, na Câmara Municipal de Belém, uma lei que ofereça o suporte necessário aos alunos com TDAH nas escolas, oficializando, assim, o atendimento.

Não há, nas escolas municipais, um número total de alunos que apresentam o transtorno, porém, levantamentos extraoficiais apontam um número considerável de crianças com o transtorno. “Na verdade o aluno com TDAH não é uma demanda da educação especial, mas nós, por meio do CRIE, os acolhemos e, por meio das formações, orientamos os professores das Salas de Recursos Multifuncionais que estão mais próximos deles pra saber quem é esse aluno, como funciona o transtorno e, a partir disso, orientamos as estratégias para melhor atendê-los”, ressaltou.

Um estudo feito pelo CRIE em parceria com a Universidade Federal do Pará produzirá uma pesquisa epidemiológica que usa instrumentos específicos para o diagnóstico do aluno TDHA. Após a finalização do levantamento, as informações serão comparadas com os estudos que estão sendo feitos em São Luís, no estado do Maranhão, para avaliar a presença do transtorno e as condições em que se dão em ambos os locais.

Para os profissionais, a formação é uma oportunidade de qualificar o atendimento. “Essas formações trazem um benefício muito grande pra todos que trabalham nas salas de recursos porque há uma riqueza enorme de conteúdo. Coisas que nem os livros e nem a academia ensinam a gente aprende com a experiência diária e nas formações”, afirmou a professora das Salas de Recursos Multifuncionais do distrito do Entroncamento, Iolanda Corrêa.

Texto: Aline Saavedra


Foto: Tássia Barros – Comus


Secretaria Municipal de Educação (SEMEC)

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Prevenção do uso de Drogas para Educadores de Escolas Públicas


A Pró-Reitoria de Extensão (PROEX) da Universidade Federal do Pará, no uso das atribuições quelhe conferem o Estatuto e o Regimento Geral, em parceria com o Programa Saúde na Escola -PSE/MEC torna públicas as inscrições para o curso de Extensão Universitária de Prevenção do uso de Drogas para Educadores de Escolas Públicas.
1.      DO CURSO

O curso é destinado as Secretarias Municipais de Educação do Estado do Pará e será desenvolvido na modalidade a distancia (EAD) através da plataforma MOODLE com carga horária de 180h. As Secretarias de Educação poderão inscrever educadores, gestores educacionais e profissionais de saúde atuantes no ensino fundamental ou médio. Serão ofertadas 25 vagas por Municípios, em grupos de 5 educadores por escola.

2. DOS OBJETIVOS

O curso objetiva promover a formação de profissionais das escolas publica para atuarem coletivamente na prevenção do uso de drogas nas escolas. Assim como apresenta como objetivos específicos:

2.1 Oferecer fundamentos teóricos metodológicos que capacitem educadores para atuarem na prevenção ao uso de drogas e comportamentos de riscos associados, sob o enfoque da promoção da saúde do educando.

2.2 Orientar os educadores para atuarem na mobilização da rede interna e externa da escola no desenvolvimento de ações de prevenção ao uso de drogas.

2.3 Aprofundar conhecimentos sobre os principais eixos metodológicos para a construção do projeto de Prevenção ao Uso de Drogas da Escola.

2.4 Subsidiar a elaboração e o desenvolvimento do projeto de Prevenção ao uso de Drogas nas Escolas.

3. DO PERÍODO DO CURSO

O curso terá duração de seis meses e será desenvolvido nos meses de setembro de 2014 a abril de 2015.

4. DO NÚMERO DE VAGAS: 350

5. DAS INSCRIÇÕES

Nas secretarias de educação deverão enviar uma relação das escolas com os nomes dos educadores interessados em fazer o curso, para o email formacaoufpa@gmail.com no período de 13 a 30 de agosto de 2014.

5.3 Para participar do curso os educadores deverão ter acesso à internet, possuir uma conta de e-mail válido e pessoal, programas necessários de visualização de conteúdo (Adobe Reader e Flash Player) disponibilidade semanal para estudo e realizar as atividades individuais e colaborativas dos módulos do curso.

5.4 As instituições de educação deverão proporcionar apoio aos cursistas para a realização do projeto de prevenção do uso de drogas na escola.

5.5 Os educadores inscritos receberão um Kit Pedagógico com todo conteúdo impresso do curso, composto por 1 Livro Texto, 1 Caderno de Orientações para a Elaboração do Projeto de Prevenção e 1 DVD.

6. DO CRONOGRAMA DO CURSO.

 

7. DA CERTIFICAÇÃO

Os participantes após concluírem todos os módulos do curso, deverão apresentar a elaboração de um projeto de intervenção pedagógica, visando à prevenção do uso de drogas direcionada a seus locais de trabalhos e um relatório das ações desenvolvidas. Assim sendo terão direito ao Certificado com o título de Aperfeiçoamento expedido pela Pró-Reitoria de Extensão da UFPA.

8. INFORMAÇÕES

EMAIL: formacaoufpa@gmail.com

TELEFONE: 32018391.

Professore​s lançam livro sobre letramento escolar




Aconteceu nesta quinta-feira, 11, o lançamento do livro “Letramento Escolar: saberes e fazeres da docência”. O livro é uma produção independente de professores paraenses, organizado por Débora Ferreira, na qual conta com a participação de três docentes da rede municipal de ensino, Valéria Fernandes, Isabel Rodrigues e Jalma Prado. A cerimônia de lançamento acorreu no Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE), no bairro do Telégrafo.

A obra é composta por quinze artigos que relatam experiências vividas nas salas de aula sobre as práticas de ensino da língua escrita em Belém. As contribuições possibilitam com que pesquisadores e professores entendam melhor os letramentos da comunidade em que atuam

“A produção deste livro tem o foco no aluno, no melhor desenvolvimento de sua aprendizagem. No entanto, para que isso ocorra é necessário contribuir diretamente com a formação dos professores, dando a oportunidade dele ampliar a sua prática pedagógica”, afirmou a professora, Valéria Fernandes.