quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Prova da subida ao açaizeiro abre os V Jogos das Ilhas

Agregar às práticas esportivas atividades do cotidiano dos ribeirinhos. Essa é a proposta dos V Jogos das Ilhas, abertos nesta terça-feira, 21, na Unidade Pedagógica Maria Clemildes, localizada na comunidade do Caruaru, distante 30 minutos (por barco) da Vila de Mosqueiro. O evento, organizado pela Secretaria Municipal de Educação (Semec), reúne alunos da Educação Infantil e do 1º ao 4º ano das Unidades Pedagógicas Maria Clemildes, Bacabeira e Castanhal do Mari-Mari. Este ano, os jogos trazem o tema "Esporte, Cultura e Identidade".

Nos Jogos, a Semec utiliza a prática do esporte como instrumento para a socialização dos alunos, disciplina e expansão de conhecimento, além da valorização da cultura e hábitos locais. Dessa forma, agregada às modalidades já conhecidas, como o futebol, queimada, futsal e corrida, a competição inclui disputas bem originais, mas que estão intimamente ligadas ao dia a dia das comunidades ribeirinhas, como as provas para ver quem sobe mais rápido no açaizeiro, quem bebe mais rápido o açaí e que arremessa mais longe o ouriço da castanha.

Na comunidade do Caruaru, música e dança marcaram cerimônia de abertura dos Jogos, que cumpriu o protocolo de evento esportivos com a realização da volta olímpica, o hasteamento das bandeiras, a execução do Hino Nacional e o acendimento da tocha olímpica.

Núbia Fernanda Foz, 11 anos, aluna da Unidade Pedagógica Maria Clemildes, se apresentou junto com um grupo de carimbó, e disse que aguardava com ansiedade a realização dos jogos. “É a primeira vez que eu vou participar e estou muito animada. Tem um monte de esporte legal que eu quero poder jogar”, disse entusiasmada.

Durante a cerimônia de abertura, a secretária Municipal de Educação, Rosinéli Salame, lembrou que foi em uma escola do campo que iniciou a sua vida educacional e que, por conhecer bem a realidade e as necessidades de quem vive na região insular empenhará todos os esforços para a melhoria da qualidade do ensino nessas áreas.

“Eu também estudei em uma escola pequena e foi lá que comecei a amar o que é nosso. A Semec tem atuado fortemente no sentido de melhorar a estrutura das escolas do campo e qualidade do ensino que é levado a essas regiões. Estamos investindo na construção de escolas de alvenaria para evitar que se deteriorem com o tempo e para garantir a segurança dos nossos alunos. Já estamos trabalhando para incluir no orçamento de 2015, a construção de uma quadra na comunidade do Caruaru. Embora os nossos alunos ribeirinhos estejam mais distantes de Belém, a educação oferecida a eles é e precisa ser de qualidade”.

Após a cerimônia de abertura, começaram as provas. A primeira competição, para ver quem subia mais rápido o açaizeiro, foi vencida por Matheus Marques Menezes. “Foi muito fácil. Desde pequeno eu via o meu pai subir no açaizeiro pra apanhar os cachos e depois vender. Assim fui aprendendo”, revelou. Na sequência, foi a vez do futebol e do arremesso do ouriço da castanha.

Representante da comunidade, Rosa Maria Montes da Silva destacou que todos os moradores aguardavam pela programação. "É uma alegria pra nossa comunidade receber os jogos. E mais ainda para os alunos das UP’s, que estão reunidos hoje, aqui, recebendo a visita dos representantes da Semec e tendo a chance de mostrar as suas habilidades”, finalizou.

Amanhã será a vez dos esportes de quadra, com as disputas de futsal, vôlei e atletismo na Escola Honorato Filgueiras, na Vila de Mosqueiro, a partir das 9 horas. Nas ilhas Sul, que correspondem às ilhas do Combu, Grande e comunidade da Várzea, a abertura dos jogos será nos dias 11 e 12 de novembro.

Texto: Aline Saavedra
Foto: Ascom Semec
Secretaria Municipal de Educação (SEMEC)

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Começa a Chamada Pública da Educação Infantil em Belém

Iniciou na última quinta-feira, 16, e segue até o dia 7 de novembro, o período de cadastramento da Chamada Pública da Educação Infantil, realizada pela Secretaria Municipal de Educação (Semec). O objetivo da chamada é cadastrar crianças de zero a cinco anos que estão fora da escola para identificar a concentração de demanda da Educação Infantil por distrito e a partir daí elaborar um planejamento que contemple a construção, ampliação ou readequação de Unidades Educacionais Infantis. Ainiciativa também ajuda na sinalização de políticas públicas para o atendimento dessa demanda. 
“Acho muito importante esse cadastramento, mesmo que não seja garantindo uma vaga a Prefeitura vai saber que aqui na Marambaia tem muita criança fora da escola. Espero que com esse cadastramento aumente o número de vagas e ano que vem o meu filho já esteja na escola”, disse a doméstica Eunice Chagas ao cadastrar seu filho de 4 anos na Escola Municipal República de Portugal, na Marambaia.
Os pais ou responsáveis por crianças de zero a cinco anos, que estão fora da escola, podem fazer o cadastros em qualquer espaço educacional do município (escolas, unidades de educação infantil, unidades pedagógicas e subvenções), no horário de 8h às 18h, na cidade, e das 8h às 16h, nas Unidades Educacionais das Ilhas.
“Tem mãe que acha que não é importante fazer esse cadastro, só porque não é período de matrícula, mas eu vim cadastrar o meu filho que tem dois anos. Eu acredito que quanto mais cedo ele entrar na escola, mais facilidade ele vai ter pra aprender, além de me ajudar, porque para ir ao trabalho tenho que deixá-lo com vizinhos”, afirmou a diarista e universitária, Jéssica Chagas de 22 anos.
O responsável pelo cadastro da criança deve apresentar os seguintes documentos originais: certidão de nascimento e carteira de vacinação da criança; carteira de identidade e CPF do responsável legal; comprovante de residência e documento com foto do responsável pelo cadastro.
Para a realização da Chamada Pública da Educação Infantil, a Semec conta com o apoio do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Estado do Pará (Sinepe-PA) e das Faculdades Maurício de Nassau e Ipiranga. É a partir de um software desenvolvido por alunos da Faculdade Ipiranga que a Prefeitura fará a captação dos dados sobre o Ensino Infantil.


Texto: Andreza Carvalho
Foto: Ascom Semec
Secretaria Municipal de Educação (SEMEC)

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Alunos do Crie prestam homenagem ao Círio de Nazaré





A noite desta quinta-feira, 9, foi de festa e muita emoção para mais de 100 crianças que participaram do I Auto do Círio da Inclusão realizado pelo Centro de Referência em Inclusão Educacional (Crie) Gabriel Lima Mendes, vinculado a Secretaria Municipal de Educação. O Auto foi um espetáculo de teatro, dança e música em homenagem a Virgem de Nazaré. Durante a apresentação houveram quatro estações onde os alunos encenaram a participação dos romeiros na corda, dança e balé aéreo e declamação de poesias. O auge do espetáculo foi a subida do manto da imagem ao céu no balão a gás e a queima de fogos. O evento foi realizado na sede do Centro, localizado na Avenida Gentil Bittencourt, Nº 694, bairro de Nazaré.

Além de prestar uma homenagem a Virgem de Nazaré, o Auto do Círio é uma maneira realizar a inclusão dos alunos com deficiência. “É muito importante fazer com que haja a interação dos alunos com e sem deficiência em todas as áreas da educação. Seja no esporte, dança ou por meio do teatro. E o Círio nos traz o espírito de colaboração, de união, e isso é muito importante quando a gente se refere a pessoas com deficiência”, ressaltou a coordenadora do CRIE, Denise Costa.

Os alunos com e sem deficiência trabalham ao longo do ano letivo a arte em suas várias faces por meio do Programa Artes Cênicas, Expressão e Inclusão. Os preparativos para a homenagem começaram há cerca de dois meses e os ensaios aconteciam em várias escolas do município. Todo o material utilizado para a apresentação foram confeccionados pelos próprios alunos. Além do Auto do Círio, o grupo de teatro Inclusão já realizou o arrastão junino e auto de natal da inclusão.

O Auto do Círio significou para várias alunas um passo para um futuro tão almejado. “É muito lindo. É a primeira vez que participo, mas sempre tive o sonho de me apresentar. No início deu um frio na barriga, mas com fé a gente conseguiu fazer tudo muito bonito”, disse a aluna da Escola Municipal República de Portugal, na Marambaia, Tainá Silva, 9. Por meio da arte o programa também lida com o lado social das crianças. “É uma emoção indescritível porque essas crianças estão realizando um sonho ao se apresentarem. Muitas vêm de uma realidade sofrida, que às vezes não tem o que comer em casa. E o Auto do Círio, por meio do programa representa uma porta que se abre a todas elas”, afirmou Suzane Pereira, coordenadora do programa.

Entre o público que assistia atentamente ao espetáculo, estava Selinor de Sousa Silva, tio de uma aluna que participava do espetáculo. Para ele, a iniciativa só traz melhora para a vida dos alunos. “É importante porque desde criança eles vão aprendendo sobre a nossa cultura. Ela não tinha oportunidade e agora tem. Ela é dedicada e a gente como família tem que apoiar. É um evento da Prefeitura bem organizado, a gente percebe a dedicação da professora. É uma escola municipal que desenvolve um bom projeto”, avaliou Selinor.

Participaram do espetáculo os alunos: Aldriene Vasconcelos, Ana Luiza Pereira, Ana Nycolle Pires, André Luiz Lima, Beatriz da Silva, Beatriz Pavão, Bruno Meireles, Carla Cardoso, Caroline Sodré, Charles Henrique Souza, Cydya da Costa, Dafne Arila, Daniele Souza Darlene da Silva, Douglas Mendes, Eliza Ribeiro da Silva, Érica Reis, Esthefany Saldanha, Felipe Freitas, Fernanda Costa, Francieli Cardoso, Gabriele Moraes, Ingrid Lima, Jade Guilherme, João Pedro, Juliana Borges, Kaylane dos Reis, Ketelen Santos, Larissa Rocha, Luan Maia, Luane, Lucas, Luís Costa, Marcos Cardoso, Maria Eduarda, Marlon Cardoso, Matheus Lopes, Nairison Malafaia, Neucieli Malafaia, Mayriane Lima, Nilton Nogueira, Odelia da Silva, Patricia Paixão, Paula de Oliveira, Paulo da Cruz, Pedro Henrique de Lima, Racquel Rosa, Rafael da Costa, Rian Araújo, Richard Lucas Leão, Ruan Carlo Ruan Rocha, Sabrina Cardoso, Samille Cardoso, Sidiney Pereira Jr., Taynar Santos, Thacila Rodrigues, Thaissa dos Santos, Thaissa Rodrigues, Thiago Alves, Valter Venâncio, Vanessa dos Santos, Vitor, Vitor Costa, Vitória Lima, Vitória Lobato, Vitória Moraes, Wewerton da Silva, Willyan Souza.

Texto: Aline Saavedra
Foto: Janine Valente
Secretaria Municipal de Educação (SEMEC)

Belém é uma das capitais que mais investe no ensino público




O investimento na educação tem sido uma das prioridades da gestão municipal. Só este ano, cerca de R$ 18 milhões foram aplicados em obras de reforma e construção de escolas, além da capacitação de docentes e inauguração do Centro de Formação de Professores. Esse valor corresponde a 30% do orçamento municipal para a educação, 5% a mais que o limite estabelecido pela lei.

A Prefeitura de Belém vem ampliando o número de alunos atendidos na rede municipal de ensino. Na Educação Infantil, o número de crianças atendidas já ultrapassa 20 mil, aumento expressivo se considerarmos que desde 2012 esse valor não chegava a 17 mil.

Somente em 2014 foram entregues as Unidades de Educação Infantil Rosemary Jorge, no bairro do Castanheira; Verdejantes, no Aurá; Jesus Maria e José, no Curió-Utinga, a Unidade Pedagógica Allana Barboza, no bairro do Ariri Bolonha; além da Escola Maroja Neto, em Mosqueiro; Alda Eutrópio, no Tapanã, e Nova Aliança, na Pratinha II.

Ainda neste semestre deverão ser entregues as escolas de Ensino Fundamental Ayrton Senna, no Tenoné; Edson Luiz, no Guamá; Manoela de Freitas, em São Brás; e Águas Negras, no bairro de mesmo nome. Em Icoaraci, a Escola de Ensino Fundamental Avertano Rocha será ampliada. Com isso, mais alunos terão acesso à educação pública de qualidade.

O cronograma da Semec prevê também a construção de cinco novas Unidades de Educação Infantil, que vão beneficiar os bairros do Tenoné, com a construção da Campus Elisios; do Tapanã, com a UEI Comunidade Vitória, e o distrito de Mosqueiro, com a UEI São Francisco. Cada uma delas conta com quatro salas de aula e, somadas, atenderão 400 crianças em tempo integral. Em Mosqueiro, a UEI Rotary, localizada no bairro do Carananduba, será ampliada para atender um número maior de alunos.

Texto: Aline Saavedra / Andreza Carvalho
Foto: João Gomes / COMUS
Secretaria Municipal de Educação (SEMEC)

 

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Aurá e Pratinha recebem obras na área da educação







O prefeito Zenaldo Coutinho entregou, na tarde desta sexta-feira, 03, duas importantes obras na área da educação em Belém: a revitalização da Unidade Pedagógica Santana do Aurá - que também ganhou uma quadra poliesportiva coberta -, na comunidade de mesmo nome, e a quadra poliesportiva coberta da Escola Municipal Duas Irmãs, no bairro da Pratinha. A secretária municipal de Educação, Rose Salame, que acompanhou o prefeito nos eventos de inauguração, lembrou que a média nacional aponta que de cada dez escolas apenas três possuem quadra de esportes em todo o país. A capital paraense, no entanto, está bem acima dessa estatística: mais de 80% das escolas da rede municipal já dispõem desse equipamento.

 A quadra de esportes da Unidade Pedagógica Santana do Aurá, que atende basicamente os filhos dos catadores que trabalham no lixão do Aurá, era um desejo antigo da população. De acordo com a coordenadora da instituição, Arlete Brito, que trabalha no local desde 2005, antes, o que havia no lugar da quadra era um campinho improvisado, de areia, onde as crianças praticavam atividades físicas. “Ver essa quadra agora, da maneira como ela está, é um grande orgulho. Agora, os pais vão ter mais segurança, enquanto os filhos estão aqui. E a própria comunidade vai poder se servir do espaço, afinal, esporte é saúde, é lazer e vida”, destacou.

É o que também pensa a catadora Rosana Santos, de 25 anos. Mãe de seis filhos, ela tem quatro matriculados na Unidade. “A minha filha mais velha tem doze anos e adora estudar. Como ela já está maior, acho que será a principal beneficiada. A quadra de esportes e essa revitalização vão ser um incentivo a mais para ela estudar. Os outros são pequenos ainda, mas com certeza também vão aproveitar esses benefícios”, acredita.

Na ocasião, o prefeito Zenaldo Coutinho ainda entregou aos alunos da Unidade Pedagógica uniformes, bicicletas para aqueles que moram mais afastados da instituição e prometeu que o próximo passo é transformar a unidade em uma escola, já no ano que vem. “Quando entregamos mais de cinco mil bicicletas para os alunos de Icoaraci e das ilhas, o fizemos porque essa é a cultura do local e facilitaria o acesso daquelas crianças com mais de dez anos, matriculadas a partir do sexto ano, e que tinham dificuldades de chegar à escola. Aqui não é diferente, por isso no ano que vem vamos entregar mais bicicletas, para todos os alunos que tenham acima de dez anos e estejam estudando a partir do quarto ano, com autorização dos pais e responsáveis. Além disso, vamos ampliar a unidade, para que ela se transforme em escola”, anunciou.

Hoje, a Unidade Pedagógica Santana do Aurá conta com 144 alunos, da educação infantil ao quinto ano, matriculados nos turnos da manhã, intermediário e tarde. Os moradores agradeceram pelas melhorias e convidaram o prefeito para uma visita à comunidade do Aurá, o que Zenaldo se comprometeu a fazer nos próximos dias.

Obras também na Pratinha

No final da tarde, Zenaldo, acompanhado pela secretária municipal de Educação, Rose Salame, e pela vice-prefeita, Karla Martins, seguiu para a Escola Municipal Duas Irmãs, no bairro da Pratinha, onde a Prefeitura acaba de construir uma quadra de esportes. Com as duas entregues nesta sexta-feira, sobem para 54 o número de escolas com quadra de esportes em Belém. Ao todo, o município conta com 70 estabelecimentos de ensino. 

Na semana que vem serão entregues mais duas e, até o final do ano, outras cinco, o que deixará a capital paraense mais próxima de cumprir a meta de 100% das escolas com quadra de esportes.

No local, o prefeito foi presenteado com apresentações culturais dos alunos da Escola – que leva o nome de Duas Irmãs em homenagem às meninas Adriele e Bianca Bentes, assassinadas em 2006 naquele bairro – e até recebeu uma placa comemorativa pela obra realizada na instituição de ensino.

Na ocasião, Zenaldo determinou que a Secretaria Municipal de Educação (Semec) construa, imediatamente, dois banheiros – feminino e masculino – para que os praticantes de esportes possam ter um espaço próprio e não precisem dividir os banheiros com os estudantes da Escola.

Atendendo a um pedido da comunidade, ele também garantiu que o nome da Escola será oficialmente alterado para “Escola Municipal Duas Irmãs Adriele e Bianca”, para reforçar a homenagem às crianças e para que a memória delas não seja abandonada. “Que essa homenagem sirva também para que continuemos a luta contra a violência, o crime, a pedofilia e para que valores cristãos e fraternos possam ser cada vez mais presentes na vida das nossas crianças e jovens”, enfatizou.
O presidente da Associação Comunitária Duas Irmãs, Wallace Rios, enfatizou que o agradecimento da comunidade à Prefeitura de Belém não se deve apenas à obra da Escola, mas a todas as melhorias que vêm sendo feitas naquela área. “Poucos gestores se preocupam com a criação de espaços para o lazer, a cultura e a prática de esportes. E essa quadra representa exatamente isso, por isso agradecemos ao prefeito pela atenção, não apenas nessa área, mas em todas as outras”, observou.

Ao todo, a Escola Municipal Duas Irmãs conta com 490 alunos, de 4 a 13 anos, que estão matriculados na Educação Infantil e nos Ciclos I e II, nos turnos da manhã e tarde.

Texto: Elck OliveiraFoto: Alessandra Serrão - NID/ComusCoordenadoria de Comunicação Social (COMUS)
 

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Chamada Escolar da Educação Infantil



A Secretaria Municipal de Educação realiza, no período do dia 16 a 31 de outubro e de 03 a 07 de novembro, a Chamada Escolar da Educação Infantil.  A chamada acontece por meio do cadastramento de crianças na faixa etária de zero a cinco anos que não estão matriculadas na escola. O cadastramento será realizado em todas as Escolas Municipais, Unidades de Educação Infantil, Unidades Pedagógicas e Unidades Conveniadas. Poderá realizar o cadastro adultos acima de 18 anos, portando a documentação detalhada no edital.

A Chamada tem o objetivo de fazer um levantamento de crianças não matriculadas na Educação Infantil em Belém e de identificar a concentração de demandas de Educação Infantil por distrito para planejamento de edificação, ampliação ou readequação de Unidades Educacionais direcionadas a crianças de zero a cinco anos, além de sinalizar políticas públicas para atendimento à esta faixa etária.

Escola realiza passeio ciclístico




A Escola Municipal Honorato Filgueiras, localizada no bairro do Jurunas, realizou no último sábado, 27, um passeio ciclístico. O passeio marcou a abertura da programação do Círio 2014. O tema deste ano foi vida saudável em interação com o meio ambiente. O evento faz parte dos objetivos do projeto politico pedagógico no que se refere a prática do lazer, a educação  e os cuidados com o meio ambiente, tendo sempre a participação da família. A programação, que iniciou em frente a escola e terminou no Portal da Amazônia, teve o apoio da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém. Ao final do passeio ciclístico houve ainda o sorteio de prêmios para os alunos e familiares.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

CRIE realiza programação em comemoração ao Dia Nacional do Surdo








Raissa Ribeiro, 17, nasceu com a audição comprometida. Ela tem perda total de um lado e parcial do outro. A jovem é uma das alunas que participaram da programação em celebração ao Dia Nacional do Surdo, comemorado nesta sexta-feira, 26 de setembro. Participaram também do evento alunos de escolas públicas do estado, familiares e instituições que desenvolvem trabalhos em defesa dos direitos dos deficientes auditivos. A caminhada, realizada no entorno do Museu Paraense Emílio Goeldi, procurou chamar a atenção para o processo de inclusão do surdo na sociedade.
 
Após a caminhada, a programação continuou dentro do parque ambiental. A ação foi realizada pelo Centro de Referência e Inclusão Educacional Gabriel Lima Mendes-CRIE, vinculado à Secretaria Municipal de Educação (Semec), que oferece atendimento educacional especializado aos alunos com deficiência.
 
"Gostaria que as pessoas tivessem um comportamento diferente do que têm hoje em relação aos deficientes auditivos. Pra mim é muito importante estar aqui com outras pessoas, também surdas, mostrando a todos do que somos capazes. Mas o principal a se pedir neste dia é o respeito”, declarou Raissa, resumindo o que todos os participantes da programação desejavam para a data.
 
Nas dependências do Museu, os alunos puderam conhecer mais um pouco da riqueza ambiental da Amazônia durante uma visita monitorada. Suziane Assunção, de apenas oito anos, ressaltou que há tempos não visitava o Museu. Ela foi diagnosticada com perda de audição e hoje seu caso é considerado moderado. A mãe, Suelen da Conceição, diz o diagnóstico não modificou em nada a rotina da filha e tampouco abalou psicologicamente a família.
 
“Eu comecei a perceber que ela sempre escutava TV e música em volume alto, quando ia conversar com alguém sempre dizia que não estava escutando bem. Foi quando eu a levei no Otorrino e, após fazer alguns exames, foi diagnosticada a perda de audição que ocorre gradativamente. Mas pra mim, a pessoa surda é como qualquer outra pessoa normal, só tem um jeito diferente de se comunicar”, afirmou.
 
Denise Costa, coordenadora do CRIE, falou da importância da comemoração da data. “Este é um momento de levar às ruas e mostrar à sociedade, de maneira ativa e consciente, os direitos e conquistas da pessoa com deficiência auditiva. É o momento de unir determinação, trabalho e empenho na busca incessante pela igualdade de direitos e respeito às diferenças, com vistas à inclusão da pessoa surda”, ressaltou.
 
Ao final da programação os alunos assistiram a uma peça encenada pelo grupo de teatro Palhaços Surdos Bilíngues, com a participação especial do ator gaúcho Itacir Dorneles Carmo. Para o artista, a arte colabora mensamente no aprendizado do aluno surdo. “A peça teatral é especial por ser uma arte visual e o surdo é inteligente, ele percebe tanto quanto um ouvinte. E isso é importante pra que ele perceba que, assim como nós escolhemos trabalhar com a arte, eles também podem ser e fazer o que desejam”, ressaltou o artista.
 
Além do dia 26, o dia 30 também é conhecido internacionalmente como o Dia do Surdo, originando, assim, a criação do nome “Setembro azul”. Entre as conquistas já alcançadas pela comunidade surda do Brasil destaca-se o reconhecimento nacional sobre a LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais, como a primeira Língua de Sinais dos Surdos, e a Língua Portuguesa como segunda, assim como o direito por Escolas Bilíngues para Surdos.
 
Outras vitórias também foram alcançadas, principalmente com a ajuda da tecnologia. Nesse sentido, pode-se destacar placas sinalizadoras em Libras, legendas em programas televisivos, ensino a distancia via internet da língua de sinais, uso de smartphones para o envio de mensagens em tempo real e formação superior de pessoas surdas com instituições bilíngues.

Alfabetizadores discutem educação popular na Semana Paulo Freire



Começou nesta quarta-feira, 24, e segue até o dia 26 a Semana Paulo Freire, organizada pela Secretaria Municipal de Educação (Semec) com o objetivo de capacitar e promover a troca experiências entre os alfabetizadores do Mova - Movimento de Alfabetização de Jovens e Adultos. Com o tema “Educação popular como prática de liberdade”, a programação acontece na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, localizada na Travessa das Mercês, em São Brás.
A abertura do evento contou com apresentações culturais e com a palestra do professor Salomão Hage, que explorou o tema da educação como prática de liberdade. Também foram exibidos vídeos com depoimentos de alunos que passaram pelo processo de alfabetização por meio do Mova-Belém.
“Essas formações tem o objetivo de mostrar que a alfabetização e o letramento vão além de aprender a ler e escrever. Os alfabetizadores têm a função de apresentar uma nova cultura aos alunos. Alfabetizar jovens e adultos é uma ação estruturante, porque possibilita que essas pessoas tenham acesso ao que a sociedade produz”, disse o professor Salomão Hage.
Durante os três dias de programação os alfabetizadores têm a oportunidade de se aprofundar na política e pedagogia das obras de Paulo Freire para a educação, enfatizando a utilização da história de vida dos alunos como ponto de partida para a alfabetização.
“A participação dos alfabetizadores é fundamental na Semana Paulo Freire, uma vez que para ser voluntário do Mova basta ter o Ensino Médio completo. As formações são indispensáveis para a capacitação deles, por isso o evento busca teorizar a principal prática freireana utilizada pelo Movimento, que é o uso da história de vida do aluno como instrumento de alfabetização”, explicou o coordenador do Mova-Belém, Miguel Picanço.
O Movimento de Alfabetização de Jovens, Adultos e Idosos em Belém é executado pela Semec e tem como propósito alfabetizar pessoas que não tiveram a chance de frequentar as salas de aula, aprendendo a ler e escrever no período adequado. Para isso, conta com a parceria de escolas municipais, igrejas e centros comunitários. Ao todo, 170 professores e 25 coordenadores integram o programa. Para ser alfabetizador do Mova é preciso ter o Ensino Médio completo e disponibilidade para ensinar e participar das formações continuadas antes e durante o projeto.
Para a alfabetizadora Maura Rodrigues, ser voluntária do Movimento é estar em constante aprendizado. “Participo há três anos do projeto. É muito emocionante escutar a história de vida dos alunos e poder ver o quanto pude contribuir pra mudança de vida deles. Por isso faço questão de não perder uma formação, para cada dia mais estar melhor preparada a ensiná-los”.