segunda-feira, 25 de abril de 2016

Formação dos Coordenadores Pedagógicos


No dia 20 de abril, 110 Coordenadores Pedagógicos que trabalham diretamente com os professores do CI, participaram da Formação Continuada no Centro de Formação de Professores. A formação foi realizada  de 8h às 12h e 14h às 17h30, onde cada coordenador participou de acordo com o seu horário de trabalho.         

                                           
Na ocasião foram abordados temas como: Conhecimento lógico Matemático, a aplicação da Provinha Brasil aos alunos o 2 ºano do CI e orientações para aplicação da Provinha Belém para os aluno do 3º ano, Relato do trabalho realizado na Escola.


O estudo iniciou com a visita a Exposição: Memória da Alfabetização que está aberta a visitação na Galeria das Criança no prédio do Centro de Formação. Em seguida os Coordenadores realizaram o relato de pautas de estudo realizadas com os professores nas HP em suas respectivas escolas, foi um momento rico de trocas de experiências. 



A formação continuou com o estudo de textos que integram os Cadernos do PNAIC - Pacto Nacional  pela  Alfabetização  na Idade Certa, em grupo estudaram sobre  Agrupamentos e Trocas, Papéis do Brincar e do Jogar no Sistema de Numeração, Relação entre o sistema de escrita alfabética (SEA) e o Sistema de Numeração Decimal, Resolução de Problemas, Construção e interpretação de gráficos e tabelas Corpo como fonte de Conhecimento Matemático.


Em seguida foram reafirmadas as orientações para acompanhamento e aplicação da Provinha Brasil pelo Coordenador Pedagógico em suas escolas.

Ainda no evento, foi repassado a data de aplicação da Provinha Belém para os alunos de CI 3º ano que acontecerá nos dias 18 e 19/05, além disso foram expostas as providências para favorecer a realização da prova pelos alunos que é um indicador da aprendizagem dos alunos.

Para o próximo encontro cinco escolas foram agendadas para partilhar suas experiências de trabalho com os professores. Como atividade final os coordenadores Pedagógicos reuniram-se com os formadores que assessoram diretamente suas escolas. 

Formação dos professores do Ciclo I.


O Centro de Formação de Professores da SEMEC realizou encontro de formação continuada para os Professores do Ciclo I no período de 4 a 7 de abril. Aproximadamente 700 professores do 1º,2º e 3º ano do CI se fizeram presentes. A formação integra as ações da Prefeitura Municipal que, através da Secretaria Municipal de Educação, acompanha a aprendizagem das crianças da Rede Municipal de Belém. 


Os temas Competência Leitora e o Sistema de Numeração foram estudados nesta pauta formativa. O estudo iniciou com a visita à Exposição: Memórias da Alfabetização, na Galeria das Crianças; o acervo contém cartilhas, vestimentas, fotos e objetos utilizados para o ensino da leitura e escrita; essa interação permitiu a reflexão sobre os modos de aprendizagem do “Ontem” e de “Hoje”.

Em seguida, foi realizado o estudo de texto através dos Cadernos que compõem o material do PNAIC – Pacto Nacional Pela Alfabetização. A análise da avaliação diagnóstica dos alunos foi a tônica da formação, que destacou a importância de observar o que o aluno já sabe e o que precisa aprender como ponto principal para a organização do trabalho pedagógico da sala de aula pelo professor.

Como parte do estudo, os professores vivenciaram jogos didáticos, cujo conteúdo é composto por atividades sobre a Consciência Fonológica. Em sequência, com a mediação dos formadores, foi realizado o planejamento de uma semana de aula com atividades de alfabetização, letramento e matemática a partir do estudo de propostas didáticas com a indicação de uso dos jogos e livros infantis do PNAIC/MEC e livro didático.

  

Jogos Didáticos fazem parte do dia- a - dia dos alunos da Rede Municipal


A Secretaria Municipal de Educação (Semec) através do Centro de Formação de Professores, lança coletânea de Jogos didáticos para uso em sala de aula com os aluno do Ciclo I. 

Todas as Escolas e Unidades Pedagógicas  estão recebendo os Kits do Baralho Didático.
O primeiro jogo apresentado refere-se ao contexto semântico da diversidade racial, utilizando o enredo e personagens da história Menina Bonita do Laço de Fita.

O Baralho Didático pode ser jogado em várias modalidade e evidencia  os conhecimentos que precisam ser apropriados pelos alunos no processo de alfabetização. 
Na formação os Professores e Coordenadores Pedagógicos do CI estudaram sobre o jogo e vivenciaram as várias possibilidades de uso no cotidiano da sala de aula.
Nas próximas formações serão lançados os jogos  com contexto semântico da cidade de Belém e da cultura popular.

sexta-feira, 4 de março de 2016

Estágio Probatório e Estabilidade

O Departamento de Recursos Humanos da Semad informa à Semec e a quem possa interessar que de acordo com a Emenda  Constitucional nº 19/1998 que alterou o art. 41, passou a elevar o período para aquisição de estabilidade que passou de dois para três anos.




Informamos que a lista com os nomes abaixo são de funcionários que já concluiram o estágio probatório faltando apenas a Homologação no Diário Oficial do Município.  Quem ainda não estiver na lista, a Semec informa que outros processos ainda estão sendo analisados pela Semad.



























quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Inscrição para o Processo Seletivo do Cursinho Municipal pode ser feita até o dia 29


Depois do sucesso em aprovação na Universidade Federal do Pará, um grande número de vestibulandos procurou a sede do Cursinho Pré-Vestibular Municipal em busca de uma vaga na unidade. Os interessados puderam realizar as inscrições para o Processo Seletivo do Cursinho Municipal e concorrer as 600 vagas, disponibilizadas pela Prefeitura de Belém nos turnos da manhã, tarde e noite. O período de inscrição segue aberto até a próxima sexta-feira, 29.

A seleção acontecerá por meio de uma prova, contendo quinze questões de matemática e uma prova de redação, com duração de três horas. A data das provas é informada no ato da inscrição. “As provas serão realizadas em dois turnos, manhã e tarde, cada um terá 200 candidatos”, explicou o professor Luis Carlos Oliveira, membro da coordenação da unidade.
No momento da inscrição, os candidatos recebem orientações e o conteúdo programático da prova. Rafaela Miranda, de 25 anos, disse que vai se preparar bastante para garantir a sua vaga. “Não quero perder esta oportunidade de estudar em um ótimo cursinho e, ainda mais, gratuito. Vou me preparar estudando muito”, ressaltou.
Até o final da tarde desta segunda-feira, 25, mais de 850 inscrições já haviam sido realizadas. Entre elas, estava a de Stifany Souza, de 21 anos, que acredita que com a ajuda do cursinho conseguirá a aprovação no vestibular, no tão sonhado curso de Enfermagem. “Estava passando pelo centro da cidade no dia do listão da UFPA, e vi a festa de aprovação de vários alunos na frente da Prefeitura. Então, aproveitei para pedir informações sobre o cursinho, e hoje, estou aqui, tentando a minha vaga”, contou.
O início das aulas no cursinho está previsto para o dia 1º de março, e, esse ano, serão adotadas novas metodologias de ensino. “Vamos ampliar a carga horária da disciplina de matemática, que também contará com um reforço no contraturno. Além disso, teremos um trabalho conjunto dos professores de redação, filosofia, sociologia e assuntos jurídicos, para fomentar o senso crítico dos alunos e poder construir uma boa argumentação na prova de redação”, revelou o diretor do Cursinho Pré-Vestibular Municipal, Henderson Ramos, o professor Branco.
Os interessados em participar do Processo Seletivo do Cursinho Municipal podem procurar a sede na unidade, localizada na Av. Generalíssimo Deodoro, 952, no bairro de Nazaré, munidos dos seguintes documentos: foto 3x4; certificado de conclusão do Ensino Médio ou declaração de concluinte de escola pública ou bolsista integral de escola particular; comprovante de residência do município de Belém; RG e CPF. O horário de atendimento ao público é das 8h às 12h e das 14h às 17h.

Texto: Andreza Carvalho
Foto: Uchôa Silva/Comus
Coordenadoria de Comunicação Social (COMUS)


Alunos da Rede Municipal de Ensino voltam às aulas


Esta segunda-feira, 25, foi de superação para Miguel da Silva, de 7 anos. Em seu primeiro dia de aula na Escola Municipal Ernestina Rodrigues, o menino que tem deficiência visual, encontrou ali o ambiente e a oportunidade para desenvolver suas habilidades. “Estou feliz porque mesmo com as minhas limitações, estou conseguindo fazer os trabalhos e participar das atividades. Aqui os professores são muito legais, sem contar que esta nova escola é muito confortável”, comentou.
O pai de Miguel, Mauricio da Silva, não conseguia esconder a emoção ao ver o filho aprendendo e participando das atividades escolares. “Tenho certeza de que aqui o Miguel vai evoluir, mesmo com a dificuldade que enfrenta. Recebi ótimas referências de todas as escolas municipais com relação à educação inclusiva e nem tenho palavras para descrever a felicidade que estou sentindo ao ver meu filho se aprimorando e sendo orientado por bons professores com projetos magníficos”, frisou.
A unidade escolar conta com amplas salas de aula, todas refrigeradas, quadra poliesportiva que assegura a prática de esportes, sala de leitura, biblioteca e sala de recursos multifuncionais para melhor atender alunos com qualquer tipo de deficiência. “Já estava com saudades dos professores e dos meus amigos. Eu amo essa escola, aqui converso, estudo, e também tenho um bom espaço pra brincar de futebol”, ressaltou o aluno Jandro Rodrigues, de 7 anos.

A realidade encontrada na Escola Ernestina Rodrigues é a mesma vivida pelos 70 mil alunos da Rede Municipal de Ensino de Belém, em suas 253 unidades, que nesta segunda-feira, 25, iniciaram o ano letivo de 2016 com acolhidas, brincadeiras, cânticos e orações.
Para a secretária Municipal de Educação (Semec), Rosinéli Salame, a iniciativa de boas vindas dinamizadas aos alunos contribui para motivá-los. “Adequar o ambiente escolar tonando-o mais atrativo, mostra o comprometimento da Prefeitura na valorização dos alunos e educadores, além de gerar uma aproximação com a comunidade”, destacou.
A dona de casa Mirlene Martins concorda com a declaração da secretária, ressaltando a importância de momentos como este nas escolas. “Esses encontros são favoráveis para nós, pais, que acompanhamos sempre nossos filhos. Podemos perceber o quanto esse momento gera felicidade e motivação para que nossas crianças queiram ficar na escola”, pontuou.
De acordo com o calendário escolar da Diretoria de Educação, da Semec, o ano letivo de 2016 se estenderá até o dia 29 de dezembro, totalizando 205 dias letivos, de aprendizado, formação continuada de professores, programações culturais, intensificação de projetos, além de atividades físicas e extraclasse, tanto na capital quanto na região das Ilhas. 



Texto: Natasha Albarado
Foto: Eliza Forte
Secretaria Municipal de Educação (SEMEC)





Com mais 2.000 mil novas vagas, Prefeitura de Belém dá início às aulas em 2016


A Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semec) dá inicio as aulas da Rede Municipal de Ensino nesta segunda-feira, 25.  Este ano foram disponibilizadas 74 mil vagas, dois mil a mais que o ano passado, sendo 21 mil destas para atender alunos da Educação Infantil  e 53 mil para o Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA). Ao todo, 253 unidades escolares pertencentes ao município estão prontas para receber os alunos.
O aumento no número de vagas é resultado da construção de novas escolas como a Ayrton Senna, no bairro do Tenoné; Sabino Barreto, no bairro das Águas Negras; Maroja Neto, em Mosqueiro; Nova Aliança, na Pratinha II; Encantos do Saber, na Cremação; UEI Nosso Lar, no bairro do Tapanã; as UEIs Verdejante, Aurá e Jardim Nova Vida, no bairro das Águas Lindas, e UEI Genesis, no Maguary, além da ampliação das escolas Edson Luis, Alda Eutrópio e Solerno Moreira que passaram de seis para 14 salas de aula cada uma.
As 21 mil vagas ofertadas na Educação Infantil já foram preenchidas e para não deixar nenhuma criança fora da escola este ano a prefeitura criou uma lista de espera para atender a demanda excedente.Com esse cadastro, a Prefeitura está abrindo novas turmas que funcionarão em espaços alugados. Em apenas 3 anos já foram criadas mais de 4.500 novas vagas na educação infantil, e até o final de 2016 serão mais 3.500 novas vagas, zerando a demanda da chamada pública realizada em 2014 que detectou 8.000 crianças de 0 a 5 anos fora de escola.
Na Unidade de Educação Infantil São Gaspar, bairro do Tapanã, professores passaram a semana organizando as salas de aula e seus materiais didáticos para a volta às aulas. “Queremos que nossas crianças sintam-se acolhidas em sua nova escola”, comentou a educadora Lívia Santos. O clima também foi de expectativa para os mais de 70 mil alunos matriculados regularmente na rede municipal. Preparar-se para novas vivências e conhecimentos, fazer amizades, utilizar o material didático e se readaptar ao dia-a-dia escolar tornaram os dias mais longos para alunos como Rafael Silva, 9 anos, do Ensino Fundamental matriculado na Escola Municipal Ayrton Senna. “Estou muito empolgado com a minha nova escola, mal consigo dormir de tão feliz e ansioso que estou. Nunca tive a oportunidade de estudar em uma escola grande, bonita e com ar condicionado e quero aproveitar para me dedicar e aprender mais”, contou.



A dona de casa Rosete Silva conta que seu sobrinho e filhas não param de mencionar a felicidade em poder voltar às aulas e acredita que a nova escola vai poder oferecer mais conforto a eles. “Fico feliz em saber que minhas crianças vão poder estudar em um colégio com a mesma estrutura e qualidade das particulares. Com certeza, este conforto e os bons recursos que vi vão implicar no estímulo de querer estar na escola e estudar mais”, revelou.
Belém é a única cidade da região norte com bibliotecas em todas as escolas municipais. No Brasil, de acordo com dados do Censo Escolar 2013, compilados pelo portal Qedu, apenas 35% das escolas, sejam elas públicas ou particulares, possuem bibliotecas escolares. Belém aparece como uma exceção nacional no que diz respeito à existência do espaço, pois está prestes a atingir a meta prevista na Lei 12.224, que estabelece a existência de uma biblioteca em cada escola.

Belém também se destaca no atual cenário nacional apresentando índice de 90% de unidades escolares com espaços adequados para a prática do esporte. Com a entrega das 63 quadras cobertas, com iluminação, segurança e acessibilidade, a Prefeitura de Belém assegura a integração da educação e esporte não só aos alunos da Rede Municipal, mas da comunidade em geral. Ainda serão entregues mais 10 quadras, sendo sete nas escolas Allana Barbosa, Honorato Filgueiras, Lais Aderne, Theodor Badotti, Gênesis, escola Bosque e Escola de Pesca, e em três Unidades Pedagógicas: Almeida Brasil, Castanheira, Allan Kardec.
 Os alunos da rede municipal de ensino ainda contam com transporte escolar na realização das atividades pedagógicas fora da escola. Já foram adquiridos 35 ônibus escolares, totalizando uma frota de quarenta veículos. Todos os ônibus são refrigerados, possuem plataforma elevatória e itens de Para a realização segurança, 02 são exclusivos para cadeirantes, com oito assentos e espaço para alocar as cadeiras de rodas.
Para a secretária de Educação, Rosinéli Salame, a educação tem tido um avanço notório no município. “Vultosos investimentos foram e ainda estão sendo aplicados na melhoria da estrutura física da rede escolar e na qualificação de nossos profissionais. São novas escolas, ampliações e reformas de outras, novo centro de formação para os professores, tablets, climatização das unidades de ensino, merenda escolar de qualidade, novas quadras para a prática do esporte com segurança e transporte eficaz para todos os nossos alunos”, afirmou.
Mais investimentos - Para este primeiro período letivo do ano de 2016 a prefeitura ainda garante a abertura de mais 3.000 vagas com a conclusão de mais 14 escolas, são elas: Caruará e São Franciscco, no distrito de Mosqueiro; Campos Elíseos, no Tapanã; UEI Ciro Pimenta, no Parque Guajará; São Clemente, no Benguí; Portal, no Jurunas; Alzira Pernambuco, no Marco; Amigos Solidários e Comunidade Vitória, no Tapanã; UEI Erê, no Barreiro; São Silvestre, no Jurunas; UEI Jardim Nova Vida no Aurá; Nelsinho e Malvinas, no Telégrafo e UP Fidelis e Ampliação da escola Monsenhor Azevedo, no Outeiro. No total, serão mais 3.00 novas vagas para Belém.
Além das obras físicas, a Prefeitura de Belém investe na qualificação e remuneração dos professores e por isso repassa, já neste mês de janeiro, os 11,36% ao magistério da rede municipal. O aumento dado deixou Belém, mais uma vez, como a cidade que melhor remunera seus professores. Com o novo reajuste, o salário do professor, recém-concursado  com duzentas horas,  chega a R$R$5.149,21, bem acima dos R$ 2.110,46 de piso estipulado pelo MEC. "Estamos fazendo investimentos expressivos na educação em Belém, seja no que se refere a pessoal, infraestrutura, transporte, entre outros itens. O nosso maior objetivo é que as crianças e jovens do município possam ter, na rede pública de ensino, a mesma qualidade que os alunos da rede particular", destaca o prefeito Zenaldo Coutinho.
Educação Inclusiva - A educação no município de Belém é referência na inclusão dos alunos com deficiência, seja ela física, intelectual, auditiva ou visual. Para melhor acolhê-los, a PMB inaugurou em dezembro o prédio do Centro de Referência em Inclusão Educacional Gabriel Lima Mendes (CRIE) da SEMEC, para oferecer todo o apoio educacional, psicológico e social aos alunos e suas famílias, além de promover formação continuada aos profissionais da rede.
Das 73 escolas de ensino infantil e fundamental de Belém, 50 possuem as salas de recursos multifuncionais onde, duas vezes por semana, equipes formadas por psicólogos, fisioterapeutas, pedagogos, entre outros profissionais, exploram as potencialidades dos alunos, de acordo com cada limitação. Nas salas há mobílias, recursos de tecnologia assistida, como máquina braile, teclado adaptado, jogos e software, além de outros instrumentos que auxiliam no desenvolvimento escolar dos atendidos.
A qualidade da educação oferecida é refletida na satisfação de pais e alunos que migram para a rede municipal. Em 2013 o número de alunos com deficiência era um pouco mais de 400. Em 2015 o número de alunos matriculados chegou a 1.382, para 2016 a prefeitura está esperando mais de 2 mil alunos com algum tipo de deficiência.

Texto: Natasha Albarado
Foto: Eliza Forte
Secretaria Municipal de Educação (SEMEC)







Cursinho Municipal aprova mais de 200 alunos na UFPA


Em maio de 2015, 470 alunos iniciavam sua caminhada de estudos no Cursinho Vestibular Municipal. Naquele momento, eles já sonhavam com uma vaga nas disputadas universidades públicas. Um sonho, que nesta sexta-feira, 22, se tornou realidade para mais de 200 alunos daquele grupo, com a aprovação na Universidade Federal do Pará (UFPA).
O 1º lugar em Engenharia Mecânica da UFPA, aprovado pelo Sistema de Seleção Unificada, Luís Felipe Diniz Santa Brígida, de 21 anos, e também aprovado em Direito, pelo Processo Seletivo da Universidade, era um desses alunos. “É uma grande felicidade ser aprovado. Foi um ano de muita dedicação. Eu não teria condições de pagar um curso com a mesma qualidade”, contou emocionado. Felipe tentava há três anos ter acesso à universidade. Hoje, a comemoração era dupla.
Para a comemoração, a Prefeitura de Belém preparou uma grande festa em frente ao Palácio Antônio Lemos. E, desde as 9h da manhã, estudantes e professores começaram a chegar ao local. O coordenador do cursinho municipal, Henderson Ramos, conhecido como professor Branco fazia questão de receber cada vitorioso, quebrando ovos em suas cabeças. “Nós, professores, estávamos acostumados a dar aula para cursinhos particulares, e, esse ano foi diferente. Estes alunos não tinham oportunidade de realizar um sonho e agora realizamos juntos, isso é algo que não tem explicação. Precisávamos passar juntos por esta experiência”, ressaltou.
Além de Luís Felipe, o cursinho municipal aprovou dezenas de alunos pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), e contou com primeiras colocações em vestibulares de todo o Brasil. Entre os calouros estão, Thaynara Costa Boas, com o 1º lugar no curso de Direito, na Universidade Federal de Roraima; e Thayná Franco da Rosa, aprovada em 1º lugar no curso de Química, na Universidade Federal do Pará. Também tiveram aprovações nos cursos de Administração e Letras da UFPA, Agronomia na Universidade Federal Rural da Amazônia e em Enfermagem, na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Agora, a expectativa é pelo resultado da Universidade Estadual do Pará (Uepa).
“Todos temos condições de chegar aonde queremos, mas às vezes falta apoio. Foi esse apoio que o Prefeito Zenaldo Coutinho deu, oferecendo esse cursinho com qualidade e professores qualificados. Mostramos que os alunos da escola pública também passam em universidades federais. Esse resultado é fruto de um trabalho bem feito”, avaliou a professora de língua Portuguesa, Elizete Ramos.
Durante o ano, 42 professores ministraram todas as disciplinas que fazem parte das habilidades e competências do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que é porta de entrada para as instituições de ensino superior do país. Para melhor preparar os alunos, foram realizados simulados, maratonas de exercícios e oficinas para disciplinas específicas, como redação, matemática e física.
“Estou muito feliz de ter passado. Depois de um ano todo de estudo, ter essa vitória é algo inigualável”, disse a caloura Thayná Franco da Rosa.
A emoção passada por cada pessoa que estava na festa, chamou a atenção do vendedor ambulante, Hélio Melo Medeiros, de 41 anos. “Essa alegria me contagia. Eu tenho o sonho de entrar em uma faculdade de comunicação e já vou procurar o cursinho para fazer a minha inscrição”, contou.
Enem 2016 - Até o dia 29 deste mês, está aberto o período de inscrição para o processo seletivo das turmas preparativas do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) em 2016. Para se inscrever basta procurar a sede, localizada na Av. Generalíssimo Deodoro, 952, no bairro de Nazaré, munidos dos seguintes documentos: certificado de conclusão do Ensino Médio ou declaração de concluinte de escola pública; comprovante de residência do município de Belém; RG e CPF. O horário de atendimento ao público é das 8h às 12h e das 14h às 17h.
Texto: Andreza Carvalho
Foto: Tássia Barros - Comus
Coordenadoria de Comunicação Social (COMUS)


Rede Municipal de Ensino planeja novo ano letivo


Pensando em oferecer educação para todos e cada vez com maior qualidade, a Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semec), vem investindo em cursos de capacitação continuada para os profissionais da rede municipal. Nesta terça-feira, 19, foi a vez da Jornada Pedagógica da Rede Municipal de Ensino de Belém, com o tema “Cultura de Paz nas Escolas da RME: um presente para Belém”.  O evento aconteceu no Auditório do Centro Integrado de Inclusão e Cidadania – CIIC.
A Jornada Pedagógica promove o encontro anual de educadores com a Diretoria de Educação da Semec, e visa proporcionar a qualificação dos profissionais por meio de planejamentos para o ano letivo. “É importante planejarmos as atividades que serão desenvolvidas com os nossos alunos durante o ano. O tema será bastante trabalhado nas nossas unidades de ensino para que, ao final do ano, possamos ver uma melhora significativa no ambiente escolar no que diz respeito à paz, ao respeito, solidariedade e amor ao próximo”, pontuou a secretária de Educação, Rosinéli Salame.
Na ocasião, foi realizada uma mesa redonda composta por autoridades da Superintendência do Sistema Penal do Estado (Susipe), Diretoria de Prevenção Social da Violência e Criminalidade (Diprev), Propaz, Belém pela Vida, Unama e Semec que debateram metodologias e práticas que deverão ser adotadas no decorrer de 2016.
“Aqui é a oportunidade de refletirmos sobre os desafios enfrentados pelos educadores no ambiente educacional e social. Orientados, eles poderão trabalhar com os alunos da rede práticas educativas para o fortalecimento da não violência”, frisou a coordenadora do Núcleo de Programas e Projetos do Ensino Fundamental, Manuela Porto.
A diretora da Escola Municipal João Nelson Ribeiro, no bairro do Telegrafo, Lígia Jordy, destacou a satisfação com a realização da Jornada Pedagógica. “Participo todos os anos deste encontro e sempre levo novos conhecimentos para dentro da sala de aula”, contou. “Levando em consideração que hoje a violência está com índices muito altos no mundo inteiro, venho parabenizar a todos os envolvidos pela iniciativa e pela escolha do tema deste ano. Agora, me sinto direcionada e segura para elaborar e por em prática bons projetos no fortalecimento de vínculos e na rede de proteção”, completou.
Após a Jornada, a equipe educacional de cada unidade escolar é responsável por elaborar o projeto pedagógico para o ano letivo de 2016. O planejamento envolve ações com ciclos de oficinas, programas intersetoriais, atividades fora do espaço escolar e assessoramento pedagógico, com apoio da Semec.

Fundação Escola Bosque – A manhã desta terça-feira, 19, também foi de planejamento das atividades de 2016, para os professores que trabalham na rede da Fundação Escola Bosque (Funbosque).
O primeiro dia da Semana Pedagógica reuniu os professores após um período de um mês de recesso. Em um clima bastante animado, a reunião começou com uma dinâmica na qual eles cantaram trechos de músicas que representaram respostas aos desafios diários da profissão, como “os sonhos mais lindos sonhei”, “quando estou aqui, vivendo esse momento lindo” e “viver e não ter a vergonha de ser feliz”.
A arte educadora Telma Vânia Gomes, trabalha há seis anos na Funbosque e atua há mais de 20 anos com educação.  Para ela, a expectativa da realização da semana pedagógica sempre é a melhor possível. “Quando nós realmente nos envolvemos na educação, cada vez mais, queremos fazer o melhor. Então, um momento como esse é importante para melhorar o nosso trabalho e a qualidade do ensino oferecido para a comunidade”, destacou a educadora.
A rede Funbosque atende cerca de dois mil alunos, distribuídos por cinco Unidades Pedagógicas (UPs) espalhadas nas ilhas de Jutuba, Cotijuba e Paquetá, além da Casa Escola de Pesca e da sede, na ilha de Caratateua, em Outeiro.  Para dar conta da demanda, são 26 salas de aulas na sede e 15 nas unidades. O quadro de profissionais é formado por 153 professores e pedagogos, além de 165 servidores administrativos.
Após dar as boas vindas aos profissionais, a presidente da Fundação, Carol Rezende, apresentou as metas alcançadas no ano passado e as traçadas para 2016. “Conseguimos alcançar muitas metas, apesar das limitações impostas pela crise, como aquisição de novos equipamentos e reformas em salas de aulas, biblioteca, laboratórios, espaço de cultura, auditório, carteiras, além da manutenção dos serviços e espaços, dentre tantos outros. O plano de ações deste ano ainda prevê muitas melhorias e mudanças. Para o início das aulas, todas as salas e demais espaços pedagógicos foram higienizados e pintados”, explicou Carol.   
De acordo com a coordenadora pedagógica, Roberta Hage, a cada dia haverá uma programação diferente para montar o calendário escolar e realizar o planejamento pedagógico. Dentre as atividades, também serão realizadas oficinas sobre diversos temas como, educação ambiental e transtorno de aprendizagem e desenvolvimento. "Esperamos que vocês estejam renovados e revigorados para juntos planejarmos o ano letivo de 2016", enfatizou Roberta.
Na ocasião, também foi informado que cada unidade pedagógica terá sua própria embarcação para transporte de professores e alunos, garantindo o início das aulas às 8h e o cumprimento da carga horária anual de 800 horas, determinada pela Lei de Diretrizes e Bases (LDB).
*Colaboração: Jaqueline Ferreira
Texto: Natasha Albarado
Foto: Acom/Semec / João Gomes / COMUS
Secretaria Municipal de Educação (SEMEC)

Prefeitura reforça transporte para unidades pedagógicas das ilhas


Todos os dias, os profissionais da educação que trabalham Fundação Escola Bosque (Funbosque) encaram a rotina de atravessar os rios até as comunidades localizadas nas ilhas ao redor  de Belém, para levar um ensino de qualidade aos alunos ribeirinhos.  
Para garantir que os professores e alunos cheguem às  salas de aula nas Unidades Pedagógicas das ilhas, a  Prefeitura de Belém, por meio da Funbosque, disponibiliza o transporte diário em embarcações e bondes. São cerca de 50 servidores entre professores, técnicos e operacionais, que utilizam o transporte diariamente. 

A rede Funbosque é formada por cinco Unidades Pedagógicas (UPs) distribuídas nas três ilhas de Jutuba (1 UP), Cotijuba (3 UPs) e Paquetá (1 UP). além da sede localizada na ilha de Caratateua, em Outeiro. De acordo com a presidente da Fundação, Carol Rezende Alves, para oferecer um melhor acesso às escolas e reduzir o tempo de viagens, este ano houve o investimento em três novas embarcações para reforçar a frota das oito já existentes, o que permitirá ter um barco para cada unidade.
Os horários das viagens também  foram alterados para garantir que as aulas comecem, pontualmente, às 8h e seja cumprida a carga horária anual. A partir do próximo dia 25, quando começa o novo ano letivo, as embarcações passarão a deixar o porto de Icoaraci, entre 6:30h e 6:45h. “Fizemos um levantamento ao longo do ano passado e apuramos que com antigo horário, às 7h15, os professores chegavam na sala de aula entre 8:30 e 9h. Isso comprometia a qualidade do ensino, já que a carga horária de 800 horas letivas, determinada pela Lei de Diretrizes e Bases (LDB), não estava sendo obedecida”, afirma a presidente.
A coordenadora pedagógica da Funbosque, Roberta Hage, explica que as novidades serão repassadas aos professores e alunos durante a Jornada Pedagógica que acontecerá entre os dias 19 e 22. “Não vamos alterar a carga horária dos professores, que continuará a mesma conforme a legislação.  Mas  precisamos garantir que as aulas comecem no horário para não prejudicar os alunos”, explica a coordenadora.
Para atender a todas as comunidades das ilhas a Funbosque utiliza a distribuição dos professores pelas cinco unidades, conforme a demanda de novos alunos e turmas, constatada após o período de renovação de matrícula. Segundo Roberta Hage, o remanejamento de professores é um procedimento de praxe, que acontece todo ano para atender as necessidades dos alunos e foi  estabelecido no edital do concurso da Fundação, .
“É comum o servidor que começou a trabalhar em determinada unidade e hoje está em outro local. Temos uma excelente equipe de profissionais que são alocados para atender as necessidades de cada ilha e sabemos que para onde eles forem vão colaborar com a educação do local”, detalha Roberta.

Texto: Jaqueline Ferreira
Foto: João Gomes / COMUS / Tássia Barros - Comus
Coordenadoria de Comunicação Social (COMUS)