terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Fmae realiza avaliação nutricional nas escolas municipais de Belém

A Prefeitura de Belém, atendendo a resolução nº 26 do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), que dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), divulgou esta semana o resultado da avaliação nutricional dos alunos de 3 a 14 anos da rede municipal de ensino.


Os testes foram realizados pela Fundação Municipal de Assistência ao Estudante (Fmae) no período de outubro a dezembro de 2014, em dezessete unidades de ensino da rede e participantes do Projeto Educando com a Horta Escolar e a Gastronomia.


A avaliação do estado nutricional realizada nas escolas municipais de Belém é uma etapa fundamental no estudo de condições de saúde das crianças, para que se possa verificar se o crescimento e as proporções corporais estão se afastando do padrão esperado, por doença e/ou por condições sociais desfavoráveis, visando atitudes de intervenção.


“A avaliação é um instrumento diagnóstico, já que mede – de diversas maneiras – as condições nutricionais do organismo. É ela quem determina o estado nutricional e é resultante do balanço entre a ingestão e a perda de nutrientes. O estado nutricional do aluno é um excelente indicador de sua qualidade de vida e que tem resultado direto no desenvolvimento e rendimento escolar dele”, afirmou Carmem Brandão, nutricionista da Fmae.


A avaliação nutricional foi realizada através da aferição das medidas corpóreas, como peso e estatura. O fator idade também foi considerado, porém dividido em três divisões: menores de 5 anos, maiores de 5 anos à 10 anos e maiores de 10 anos.


Observou-se que os alunos de maneira geral apresentaram uma adequabilidade significativa para altura em todas as faixas etárias indicando prováveis condições favoráveis de saúde para a maioria dos alunos.


Com relação ao peso, cada faixa etária exibiu distribuições distintas, observando-se tendência para risco de sobrepeso para os menores de 5 anos quando relacionada ao Índice de Massa Corpórea. Porém, significativa expressão de peso adequado para a idade.


Os alunos na faixa etária maior de cinco anos e menor de dez anos exibiram uma condição de peso adequado bastante significativa, mas observou-se com relação à idade uma elevação tanto para baixo como para elevado peso. Em relação ao IMC há uma significativa tendência para a obesidade, devido os percentuais encontrados nos diagnóstico de risco para o sobrepeso e obesidade.


Para os alunos da terceira faixa etária (maiores de dez anos), predominam a altura e o peso adequados, mas com significativa tendência ao sobrepeso.


A avaliação nutricional da Fmae constatou sinal amarelo ao sobrepeso em todas as faixas etárias estudadas. Isso significa um enquadramento que requer atenção e cuidado maior. Um alerta sinalizador para a intervenção de cuidados nutricionais que impeçam o agravamento do diagnóstico.


“A Fmae já fornece um cardápio que atende as necessidades nutricionais dos alunos. Porém, intensificaremos nas escolas as palestras e trabalhos voltados à disseminação da educação nutricional e alimentar, já que precisamos da participação familiar para que possamos reverter o sobrepeso e não chegarmos à obesidade”, explicou a nutricionista Carmem Brandão.


Desde o início de 2013 que a Prefeitura de Belém não tem medido esforços para proporcionar ao alunado da rede municipal um atendimento diferenciado no que se refere à merenda escolar, fornecendo refeições que cobrem as necessidades nutricionais dos alunos durante todo o período letivo; e promovendo ações de educação alimentar e nutricional, ressaltando a importância da escola desenvolver estratégias que envolvam toda a comunidade escolar na formação de hábitos de vida saudáveis, como o projeto Educando com a Horta Escolar.


Para Walmir Moares, presidente da Fmae, “quanto mais alunos são avaliados, do ponto de vista nutricional, e quanto mais seriadas forem essas avaliações, mais intervenções podem ser instituídas, e que certamente melhorará o desenvolvimento do aluno no espaço educacional”.


Para estimular a alimentação saudável, as escolas municipais recebem, de forma intensiva, os alimentos oriundos da agricultura familiar. Dos recursos financeiros repassados pelo FNDE, no âmbito do Pnae, no mínimo 30% deve ser utilizado na aquisição de gêneros alimentícios diretamente da agricultura familiar. A Fmae já utiliza 39%. Estes alimentos estão compreendidos entre hortaliças, frutas, polpa de frutas, entre outros.


“Meu filho fez a avaliação nutricional em novembro e já sei que em casa algumas coisas já precisam ser mudadas. Antes eu mandava lanche para ele, mesmo sabendo que tinha refeição na escola. Eu mandava o que ele gostava: refrigerante com salgadinhos ou biscoito. Não mando mais porque ele está meio gordinho e as nutricionistas me explicaram que esse tipo de comida faz mal para saúde dele. Aqui na escola, ele tem lanche mais saudável, não preciso mandar esse tipo de lanche”, afirmou a mãe do Pedro Henrique, aluno do Jardim 2, da Escola Pedro Demo, em Outeiro.


Os resultados obtidos com as crianças da rede municipal de ensino de Belém são coerentes com os dados do IBGE, pois o instituto afirma que das crianças de 5 a 9 anos, uma em cada três (33,5%) tem excesso de peso e 14,3% são obesas.


Frente ao exposto, a Fmae encaminhará a avaliação nutricional à Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) para firmarem parcerias através do Programa Saúde na Escola, e assim criar estratégias de intervenção eficientes, encaminhando para acompanhamento, em nível ambulatorial, os alunos enquadrados em classificações críticas; e, também, repetirá a pesquisa duas vezes ao ano.

Texto: Jolse Quinto

Foto: Arquivo Comus

Secretaria Municipal de Educação (SEMEC)

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Semec promove semana cultural com autores paraenses

Ainda em comemoração aos 399 anos de Belém, celebrado no último dia 12, a Secretaria Municipal de Educação (Semec) por meio do Sistema Municipal de Bibliotecas Escolares (Sismube) promoveu, na manhã da última sexta-feira, 16, o encerramento da programação especial de aniversário da cidade que incluiu a exposição de banners e caricaturas de autores paraenses que participaram do Projeto Memória da Literatura do Pará em 2014.
A reunião ocorreu no Salão Pérola da Secretaria com a presença de alunos da rede, pais, diretores, escritores e servidores.
O objetivo do projeto é despertar a valorização da cultura e literatura paraense de forma a incentivar os alunos da rede à prática da leitura e escrita. No encerramento houve apresentações de danças, performance teatral e homenagens aos autores paraenses.
"É uma oportunidade muito grande poder gerenciar este trabalho bonito, pois despertamos e mostramos talentos desenvolvidos pelos nossos alunos, além de combatermos o currículo fragmentado trazendo a perspectiva interdisciplinar para nosso cotidiano escolar", disse o diretor Alcemir Rodrigues, da Escola Municipal Gabriel Lage.
No evento estiveram presentes grandes nomes paraenses como o escritor Paulo Nunes, Juraci Siqueira, Alfredo Garcia e outros. Emocionados, os escritores destacaram a importância dessa reafirmação cultural desenvolvida por alunos da rede municipal.
Para Juraci Siqueira o projeto é necessário já que envolve autores mais antigos e também os atuais. "É de fundamental importância mostrar grandes pessoas e grandes trabalhos para esta nova geração, tanto os que já se foram e estão sendo lembrados, quanto nós aqui presentes".  "Hoje muitos alunos tem mais vontade de ler e escrever poesias e dizem se inspirar em mim, é muito bom ver esse reconhecimento através do projeto realizado nas escolas do município", completou o autor.
O projeto Memória da Literatura do Pará envolve todas as escolas municipais e segundo o autor paraense Walcyr Monteiro já tem uma grande dimensão. “Presenciei toda a abrangência do projeto e hoje quero agradecer a Semec e ao Sismube pela oportunidade em geral, sem dúvidas o projeto é um exemplo a ser seguido já que nosso trabalho está tendo um efeito multiplicador. Vemos que os alunos já estão conquistando os seus próprios espaços", frisou.
O público ficou encantado com tanta alegria repassada pelos alunos através das apresentações de lendas e músicas tipicamente amazônicas. "É como se eu fosse mesmo a moça do táxi, o projeto me possibilita viver a poesia e estar aqui é muito bom já que posso representar a cultura da minha Belém do Pará", disse a aluna Nicole Lima, do 2º ano da Escola Municipal Comandante Klautau.
A aluna Agatha Isaura, da Escola Municipal Gabriel Lage, afirma ter orgulho de ser paraense e agradece a participação no projeto. "Em nome da minha escola agradeço à Prefeitura de Belém por nos deixar viver este grande momento, eu desejo que o projeto continue sempre", contou.
No final do evento os escritores paraenses receberam suas caricaturas, feitas pelos próprios alunos da rede municipal. 

Texto: Natasha Albarado
Foto: Ascom Semec
Secretaria Municipal de Educação (SEMEC)

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Reunião com Diretores e Coordenadores

A reunião sobre lotação com diretores e coordenadores de UEI's foi transferida para o dia 20 de janeiro. Acontecerá no Centro de Formação de Professores às 9h para os Diretores e às 15h para os Coordenadores das UEI's.

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Secretária Municipal de Educação recebe homenagem



Como parte das comemorações pelo aniversário de 399 anos de Belém, ocorrido nesta segunda-feira, 12, a prefeitura entregou, em cerimônia no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, a maior comenda do município, a medalha Francisco Caldeira Castelo Branco, para personalidades que se destacaram no trabalho pela cidade, nos contextos econômico, político, social cultural e eclesiástico. Entre os agraciados, estavam a secretaria municipal de educação, Rosinéli Salame, e a pequena Sara Rebecka de Araújo Sousa, de 10 anos, apontada como a melhor aluna da rede municipal de ensino.

No início da cerimônia, o prefeito Zenaldo Coutinho assinou, junto com o diretor do Sest/Senat, convênio para oferta de cursos de qualificação profissional para moradores da capital paraense. Além disso, foram apresentados novos equipamentos para o aparelhamento da Guarda Municipal de Belém, tais como coletes, granadas, sprays, caneleiras, cotoveleiras, entre outros. A banda da corporação também se apresentou com os novos instrumentos musicais recém-adquiridos pelo poder municipal.

Em nome de todos os agraciados com a honraria, falou o juiz de direito da 3ª Vara Criminal da Comarca de Abaetetuba, Deomar Alexandre de Pinho Barroso, mineiro de nascimento que há 12 anos vive no Pará. Ele é o mentor do projeto que leva presos de justiça dos regimes fechado e semiaberto para dar palestras em escolas públicas e reformá-las. "Hoje, temos mais de 17 comarcas com juízes apoiando o projeto e mais de 400 presos saem por mês para reformar escolas, praças, de Redenção a Santarém, passando por Belém e Abaetetuba. Apenas em Belém, mais de 200 presos já foram contratados pela prefeitura para limpar os canais da cidade através do projeto 'Conquistando a Liberdade'", pontuou.

O prefeito Zenaldo Coutinho parabenizou a todos os contemplados e aos moradores de Belém pela passagem do aniversário de 399 anos de fundação da capital paraense. "Para que se chegue aos 400 anos de Belém com muita coisa positiva, é importante que se tenha os bons exemplos multiplicados. Vamos, nesta semana, entregar obras de saneamaneto, pavimentação, escolas, unidades de saúde e ainda assinar a ordem de serviço das obras do BRT da Augusto Montenegro. Além disso, também assinaremos ordens de serviço para construção de mais três UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), o que certamente contribuirá para que cheguemos em 2016, portanto no aniversário de 400 anos de Belém, com mais infraestrutura, saúde, educação e saneamento", enfatizou.

Shows
Os shows de música regional fizeram o público tremer na comemoração dos 399 anos de Belém, promovida pela prefeitura no Hangar Centro de Convenções da Amazônia na noite desta segunda-feira, 12.

Mesmo quem não nasceu na capital paraense manifestou sentimento de amor pela cidade que caminha para os 400 anos. “Amo Belém, amo essa terra. Belém é muito rica culturalmente e cheia de gente tão carinhosa. Não sou nascida aqui, mas me sinto Belenense. Um viva enorme para Belém”, pediu a cantora Lia Sophia, que ganhou o Brasil com o sucesso “Ai Menina”.

Mas não foram apenas os cantores que tiveram o privilégio de subir ao palco e mostrar seu talento para um Hangar lotado.Um casal que dançava em frente ao palco chamou atenção da cantora Fafá de Belém que convidou a dupla para animar mais ainda a festa. “Como eu sou um bom cavalheiro, vi a dama dançando sozinha e puxei para dançar comigo. A Fafá viu e nos chamou para dançar no palco. Foi um sonho realizado”, comemorou Roberto Pantoja, funcionário da Secretaria de Cultura de Acará que fez questão de participar a festa da capital.

A apresentação da cantora Fafá de Belém marcou a noite dos 399 anos da cidade. “Eu vim ver a Fafá de Belém. A Fafá sempre impressiona, ela é muito generosa por dar oportunidade a outros cantores de participarem do show. Sou fã dela desde que eu nasci”, afirmou Simone Costa, professora da Universidade Estadual do Pará, que chegou cedo para garantir um lugar próximo ao palco.

E entre os convidados ilustres da noite de festa também esteve Dona Onete: 74 anos de música regional e poesia em homenagem à sua terra. “Belém representa tudo, primeiramente. É uma emoção muito grande ver que a cada ano o povo vai gostando mais de Belém, ouvindo mais as nossas músicas e cantando com a gente. Belém está precisando de amor e carinho, de gente que zele a cidade”, destacou a cantora e compositora paraense.

Outra estrela declarou amor incondicional por Belém. “A gente tem que ter muito orgulho dessa cidade que tem essa cultura tão especial. A gente está muito bem na música, na gastronomia, as pessoas estão vindo cada vez mais para Belém, para conhecer a nossa cidade. Independente de todos os problemas sociais que ela tem como qualquer outra grande metrópole, a gente tem que olhar para ela com amor e gratidão por estarmos aqui, morando no meio da Amazônia”, declarou Gaby Amarantos.

Ainda segundo Gaby, por mais que saiam de Belém, as pessoas sempre querem voltar. “Eu quero morar sempre aqui, sempre no Jurunas. A minha casa é aqui, trabalho lá fora, mas volto para cá para poder carregar as baterias” finalizou a cantora.

Texto: Elck Oliveira
Foto: Isis Fonseca
Coordenadoria de Comunicação Social (COMUS)

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

UnB oferece oportunidade para estados e municípios no projeto Educando com a Horta Escolar e a Gastronomia



O Projeto “Educando com a Horta Escolar e a Gastronomia (PEHEG)” promove curso de 160 horas, com início em fevereiro de 2015, para a formação de multiplicadores em estados e municípios. O curso, em ambiente virtual de aprendizagem, tem 200 vagas e é oferecido pela Universidade de Brasília (UnB), por meio do Centro de Excelência em Turismo. A formação vai até agosto de 2015. Todos os órgãos estaduais e municipais de Educação do país estão convidados a participar.
O objetivo do programa é usar a horta e a gastronomia como eixos geradores da prática pedagógica e para promover hábitos alimentares saudáveis, a valorização de ingredientes e receitas regionais e técnicas de preparo de alimentos.
O ambiente virtual de aprendizagem engloba formação, integração, acompanhamento, monitoramento e orientação dos multiplicadores, que serão responsáveis pela implantação do projeto no município ou estado. O município ou estado que demonstrar a implantação do projeto receberá certificação do Programa.
Entre os critérios para a seleção das localidades, estão o acesso regular à internet e a existência de nutricionista responsável técnico cadastrado no FNDE. O município ou estado também se compromete a garantir a implantação e execução do projeto em no mínimo cinco escolas, ou em todas, quando o número for inferior a cinco.
Caso o número de entidades executoras aptas a participarem do Projeto seja superior ao número de vagas, terão prioridade municípios e estados das regiões Norte e Nordeste do país. Também terão prioridade municípios que atingiram o mínimo de 30% dos recursos repassados pelo FNDE à conta do PNAE na aquisição dos produtos oriundos da agricultura familiar.
O público alvo são nutricionistas, coordenadores pedagógicos, técnicos para meio ambiente e horta, coordenadores de alimentação escolar e representantes do Conselho de Alimentação Escolar.

Para Fazer Uma Inscrição, municípios e Estados devem preencher o Formulário A (Estados e Municípios) e o Formulário B, que deverão Ser enviados até 19 de janeiro de 2015 o Pará ENDEREÇO ​​eletrônicoselecaopeheg@unb.br.
O resultado da seleção deve ser divulgado em 23 de janeiro de 2015, no portal www.cet.unb.br. As aulas têm início em 2 de fevereiro de 2015. Mais informações pelo endereço eletrônico gastroehorta@unb.br, pelo telefone (61) 3107-6004 ou pelo portal www.cet.unb.br.


Fonte: Assessoria de Comunicação do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE

Prefeitura de Belém organiza e fiscaliza o transporte escolar na capital.


Na primeira segunda-feira de 2015 a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém – Semob inicia o cadastro para autorização de transporte escolar e renovação dos cadastros existentes.
Nos próximos trinta dias quem deseja trabalhar com transporte escolar deve comparecer à sede da Semob e apresentar a documentação necessária para iniciar ou continuar o serviço.

Atualmente 106 veículos possuem autorização para operar o transporte escolar no município e todos eles  devem realizar seu recadastramento, caso contrário estarão desautorizados a explorar o sistema de transporte escolar.
Para as novas concessões não há limitação de vagas, apenas o interessado deve cumprir as exigências que determinam o regulamento de transportes do município de Belém, ou seja, a apresentação dos documentos e posterior vistoria do veículo, para então conseguir a autorização de transporte. 
“As oportunidades são tanto para quem já possui a autorização que deverá se recadastrar apresentando sua documentação na Semob quanto para quem não começou mas deseja explorar essa atividade no município”, reforça Gilberto Barbosa, diretor geral da Semob.

Para se candidatar os interessados, que podem ser pessoas físicas que exercem a atividade como autônomas ou  estabelecimentos de ensino regulares, devem comparecer à sede da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém – Semob (Avenida Júlio César 1026-A – Val-de-Cans no horário de 8h30 às 15h30) a partir desta segunda-feira,5,   munido da documentação solicitada. Após aprovação da documentação o carro deve passar por vistoria para então receber a autorização. Todos os autorizados, novos ou recadastrados, deverão operar conforme determina o regulamento de transporte do município, inclusive com identidade visual do veículo padronizada.

“Depois do cadastramento e da vistoria os interessados estarão liberados para circular ainda este ano”, explica Evany Alves, diretora de transporte da Semob.

Os documentos necessários para o cadastro são:

- Carteira de identidade

- Carteira Nacional de Habilitação na categoria D

- Cadastro de Pessoa Física

- Certificado de Reservista ou equivalente

- Título Eleitoral com comprovante de votação da última eleição

- Comprovante de inscrição no cadastro fiscal da Secretaria Municipal de Finanças – Sefin

- Certidão Negativa de registro de distribuição criminal

- Duas fotos 3x4

- Comprovante de residência e, no caso de pessoa residente em casa de terceiros, declaração do proprietário ou locatário do imóvel de que o mesmo reside no local

- Comprovante de aprovação em curso especializado nos termos da resolução 168/2004 e da resolução 285/2009 do Contran.

- Comprovante de propriedade do veículo no qual pretende operar o serviço

- Termo de autorização para exploração do serviço

- Comprovante de inexistência de nenhuma infração de trânsito grave ou gravíssima ou de reincidência de infrações médias nos últimos 12 meses.

Para o condutor autorizatário e condutor auxiliar:

- Carteira de Identidade

- Carteira Nacional de Habilitação na categoria D

- Cadastro de Pessoa Física

- Certificado de Reservista ou equivalente

- Título Eleitoral com comprovante de votação da última eleição

- Certidão Negativa de registro de distribuição criminal

- Duas fotos 3x4

- Comprovante de residência e, no caso de pessoa residente em casa de terceiros, declaração do proprietário ou locatário do imóvel de que o mesmo reside no local

- Comprovante de aprovação em curso especializado nos termos da resolução 168/2004 e da resolução 285/2009 do Contran.

- Comprovante de inexistência de nenhuma infração de trânsito grave ou gravíssima ou de reincidência de infrações médias nos últimos 12 meses.

Para o auxiliar de transporte escolar

-Carteira de Identidade

- Cadastro de Pessoa Física

- Título Eleitoral com comprovante de votação da última eleição

- Certificado de Reservista ou equivalente

- Certificado de aprovação em curso de relações interpessoais, na forma estabelecida pela Semob.

-Duas fotos 3x4

- Comprovante de residência e, no caso de pessoa residente em casa de terceiros, declaração do proprietário ou locatário do imóvel de que o mesmo reside no local

- Certidão negativa de registro de distribuição criminal.
Texto: Nathalia Petta
Foto: João Gomes / COMUS
Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (SEMOB)

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Semec divulga calendário de matrículas para novos alunos



Segue até esta terça-feira, 6 de janeiro, o período para fazer a matrícula de alunos novos com deficiência na rede municipal de ensino. Em seguida, de 7 a 16, estará aberta para os demais novos alunos da educação infantil, ensino fundamental e Educação de Jovens e Adultos.
Para fazer a matrícula, o responsável deve ir até a escola em que pretende o aluno estude e apresente os seguintes documentos: certidão de nascimento ou Registro Geral; comprovante de residência; ressalva ou histórico escolar se for remanejado de outro município ou da rede estadual; carteira de vacinação (para a educação infantil) e laudo médico (não obrigatório) para os alunos com deficiência, para serem encaminhados para atendimento especial.
Para o ano letivo de 2015, a Secretaria Municipal de Educação (Semec) abrirá seis mil novas vagas para alunos do ensino fundamental, e mais 1,5 mil novas vagas para atender as crianças de quatro e cinco anos, estudantes da Educação Infantil. Os alunos já pertencentes a rede municipal de ensino tiveram até o dia 17 de dezembro para a realização da rematrícula .
O começo das aulas na rede municipal de ensino está marcado para 26 de janeiro e a estimativa é que haja 204 dias letivos. A previsão é que as aulas se encerrem no dia 30 de dezembro de 2015.
Uma das metas da Semec para este ano é atender 100% dos alunos com 4 e 5 anos de idade. Para isso, oito espaços educativos serão entregues e já estarão realizando matriculas, a partir do dia 7. São elas: Unidade de Educação Infantil Encanto do Saber, na Cremação; Escola Municipal de Ensino Infantil e Fundamental Edson Luís, no Guamá; Escola de Ensino Infantil e Fundamental Sabino Barreto, em Icoaraci; além da Unidade de Educação Infantil Aurá e Jardim Nova Vida, ambos localizados no Aurá e irão acolher os filhos dos catadores da área.
A prefeitura também trabalha para entregar até o final de março as Escolas de Ensino Infantil Gênesis, no Maguary, e Nosso Lar, no Tapanã.
Texto: Aline Saavedra
Foto: ASCOM SEMEC
Secretaria Municipal de Educação (SEMEC)
 
 

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Professora premiada pelo MEC é recebida com festa em Belém










Alunos da Escola Municipal Walter Leite Caminha, localizada no bairro do Benguí, foram prestigiar na tarde desta sexta-feira, 12, no aeroporto internacional de Belém, a chegada da professora Diana Lemes, que conquistou o 8º Prêmio Professores do Brasil, região Norte.

 O prêmio é uma iniciativa do Ministério da Educação, por meio da Secretaria de Educação Básica e instituições parceiras. O objetivo do prêmio é reconhecer, premiar e divulgar o mérito de professores das redes públicas de ensino, pela contribuição para a melhoria da qualidade da educação básica.

O projeto premiado foi “Educação para o trânsito, a vida pede passagem: o Benguí antes e depois da Avenida Independência/Centenário”, que foi desenvolvido com alunos do Ciclo II (4º e 5º anos). No período de 8 a 11 de dezembro, a professora premiada e a diretora da escola, Patrícia Faria Oriolli, participaram do seminário Prêmio Professores do Brasil.

Em Belém, com faixas e cartazes, os estudantes aguardavam ansiosamente a chegada da educadora que recebeu o prêmio em São Paulo nesta quinta-feira, 11. Acolhida com beijos, abraços e demonstrações de carinho, Diana Lemes definiu a emoção que sentia no momento com o sentimento de dever cumprido. “Este foi o maior reconhecimento da carreira dos últimos tempos. É um prêmio da maior instituição ligada à educação no Brasil. Ser reconhecida nacionalmente por um trabalho realizado é muito bom. É mais um momento em que sinto que valeu a pena todos esses vinte e dois anos acreditando na educação pública de qualidade”, disse emocionada.

Entre os alunos que recepcionaram a professora estava a estudante Eliane Beatriz Souza, 10, do 4º ano, que não escondia a felicidade de participar do projeto e estar ali, no momento da chegada. “Estou achando muito bom. A gente ajudou ela a ganhar esse prêmio. Ela me ajudou muito, me ensinou a ler e escrever. É a professora que eu mais gosto”, disse sorrindo.

A cerimônia de entrega ocorreu no Sesc Vila Mariana, em São Paulo e estiveram presentes os professores premiados de todo o Brasil. Para a diretora Patrícia Oriolli, o prêmio reflete os bons trabalhos desenvolvidos na escola. “A escola já teve outros projetos muito importantes. E, com a conquista do Prêmio Professores do Brasil não tenho dúvidas que os nossos professores e estudantes irão estar ainda mais motivados para trabalhar em novos projetos”, disse.

Dentro de sala de aula, a professora desenvolveu o conteúdo programático da Prova Brasil, que avalia o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica por escola, utilizando as notícias referentes à nova avenida publicadas em jornais.

Dessa maneira, os alunos exercitaram várias disciplinas, como matemática, geografia, português e redação, utilizando as informações veiculadas. Foram produzidos também exercícios, avaliações, gincanas e aulas práticas.

Para concorrer ao prêmio são inscritos, na maioria das vezes, projetos com temas como letramento e alfabetização. O fato de o projeto “Educação para o trânsito, a vida pede passagem: o Benguí antes e depois da Avenida Independência/Centenário” não ter um tema comum, pode ter sido um dos motivos para que o projeto fosse escolhido como o melhor da região Norte.

 
Texto: Aline Saavedra
Foto: Ascom Semec
Secretaria Municipal de Educação (SEMEC)

 

Alunos de escolas públicas realizam o II Auto de Natal da Inclusão






"Este e um momento muito importante para nós. É uma grande festa de confraternização, é um grande passo ", disse emocionada a dona de casa Maria Iraci Oliveira, mãe da Aline Oliveira Pinheiro, 15, estudante com síndrome de Down, enquanto assistia ao II Auto de Natal da Inclusão.
O momento para mãe e filha representa um grande salto para a inclusão da aluna com deficiência no meio escolar e social. A estudante mostrou no palco que mesmo com limitações, todas as pessoas podem superar os seus desafios e fazer uma bela apresentação.
Este foi o objetivo do espetáculo realizado nesta quarta-feira, 16, no Soprano Restô. A iniciativa foi do Centro de Referência em Inclusão Educacional Gabriel Lima Mendes (Crie), vinculado a Secretaria Municipal de Educação (Semec).
O espetáculo teatral reuniu 40 crianças com e sem deficiência, que subiram ao palco e encantaram a todos os expectadores. Este ano a apresentação abordou o tema consumismo, muitas vezes priorizado no período do Natal, e fez um alerta para a importância dos principais valores a serem compartilhados, como o amor e o respeito ao próximo.
Na plateia, cerca de 300 Crianças, Jovens, Adultos e Idosos assistiam a Apresentação. Para Rosenilde Fernandes, nao de ano final, o espetáculo é sempre muito esperado. "Todo ano tem novidade alguma novidade do CRIE. Eu faço questão de trazer as crianças. É muito bom que eles tenham contato e aprendam a ter respeito com os colegas especiais", disse a Mãe do Renato Fernandes, Aluno do 4º ano da Escola Municipal Ida de Oliveira .
O grupo que compôs a peça é denominado Trupe da Inclusão e integra o Programa Artes Cênicas, Expressão e Inclusão, que ao longo do ano desenvolve várias ações. Entre elas estão o CRIE Folia, Arrastão e cultural Auto do Círio.
Para a coordenadora do programa e realizadora da apresentação, Suzane Pereira, o teatro é apenas uma ferramenta para construir uma sociedade mais inclusiva e que já está gerando excelentes resultados.
“Nós usamos o teatro para acolher os alunos, para promover a socialização entre eles. E a gente já percebe importantes avanços. A criança com deficiência já supera as barreiras junto com os outros alunos, por exemplo. E isso é ótimo”, afirmou. Após o espetáculo, o papai Noel fez à entrega de brinquedos às crianças presentes que também receberam lanche. “Gostei muito, gostei de tudo e adorei o meu presente”, disse sorridente o aluno Carlos Henrique Souza, da escola Rotary. 
 
Texto: Aline Saavedra
Foto: Samdy Mendes / Comus
Secretaria Municipal de Educação (SEMEC)