sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Mova transforma vida de mais de 3 mil alunos com a alfabetização

Algumas pessoas ainda eram crianças quando aprenderam a ler e escrever e nem se lembram de como era a vida antes disso, mas outras passaram anos de suas vidas sem saber assinar o seu nome, ler uma informação ou até mesmo identificar o ônibus que o levaria ao destino almejado. Em busca de mudar esta realidade, há oito meses mais de 3 mil jovens, adultos e idosos buscaram por se alfabetizar por intermédio do Movimento de Alfabetização de Jovens, Adultos e Idosos (Mova Belém), executado pela Secretaria Municipal de Educação. Estes alunos tiveram a certificação de alfabetização em uma cerimônia repleta de alegria e emoção, realizada na noite desta terça-feira, 16, no Ginásio Altino Pimenta.
Para Antônia dos Santos, a certificação do Mova significa novas conquistas. “Me sinto muito feliz por chegar esse momento muito esperado da minha vida. Hoje eu já sei assinar o meu nome, não preciso colocar o meu dedo. Também posso ir à Igreja e ler a Bíblia, estou muito feliz”, relatou a aluna, de 78 anos.
O Mova Belém tem como propósito alfabetizar jovens, adultos e idosos que não tiveram a chance de frequentar as salas de aula e aprender a ler e escrever no período indicado. Com mais de dez anos de existência, o programa já beneficiou mais de 27.989 alunos.
Neste ano, foram cadastrados 3.400 alunos distribuídos em 170 turmas e assessorado por 34 coordenadores. Destas turmas, 15 estão localizadas em ilhas de Belém, e possuem juntas aproximadamente 300 alunos. Para ser alfabetizador do Mova é preciso ter o Ensino Médio completo e disponibilidade para ensinar e participar das formações continuadas antes e durante o projeto.
“Os estudantes passam por muitas dificuldades para conseguir continuar a ir para as aulas, mas nós mostramos que a educação é único caminho para um futuro melhor.  Tentamos fazer com que eles não desistam no meio do caminho” disse o alfabetizador, Rostan da Silva. “O Mova tem a finalidade de trabalhar com o amor e a educação feita com todo esse carinho chega aonde nos chegamos. Hoje o objetivo foi alcançado e estes alunos estão aqui”, completou emocionado o alfabetizador.
No ano de 2013 a Prefeitura de Belém, com o Mova, alfabetizou mais de 3 mil pessoas. Até 2016, quando a cidade completa 400 anos, o objetivo é reduzir o número de analfabetos pela metade. O Mova hoje atua em igrejas e centros comunitários com aulas de segunda a quinta-feira e, nas escolas das ilhas, no período da tarde.
“Para nós professores isso é fantástico, nos sentimos imensamente orgulhosos da coragem e força desses alunos. Que esse seja apenas o primeiro passo de uma longa caminhada nos estudos”, enfatizou a secretária municipal de educação, Rosinéli Salame.
Além de alfabetizar, o Mova realiza ações de promoção da cidadania. São oferecidos aos alunos a emissão de documentos e oferta de serviços no Mutirão Ação e Cidadania, oficina de geração de renda, onde os atendidos aprendem a confeccionar objetos e os trabalhos realizados ao longo do período são apresentados na Mostra de Saberes. Ao final das aulas os alunos recebem da Semec certificados que atestam que estão aptos a prosseguir nos estudos.

“Cada vez que entregamos um aluno alfabetizado estamos entregando para a sociedade novos cidadãos, por isso esta noite é maravilhosa”, finalizou a representante do Movimento de Alfabetização de Jovens, Adultos e Idosos em Belém, Edilmary Teixeira.


Belém livre no analfabetismo



Em julho deste ano, Belém recebeu do Ministério da Educação (MEC) o Selo de Município Livre do Analfabetismo. O selo é dado às cidades que atingiram mais de 96% de alfabetização entre jovens e adultos. O título foi emitido a apenas 207 entre 5,5 mil cidades brasileiras.
A certificação do MEC é prevista no decreto número 6.093, de 24 de abril de 2007, que dispõe sobre a reorganização do Programa Brasil Alfabetizado (PBA), que visa a universalização da alfabetização de jovens e adultos a partir dos 15 anos de idade.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Semec promove o I Sarau Cultural na região das ilhas


Para os ribeirinhos da região das ilhas de Belém o dia começou movimentado e alegre com apresentações de danças tipicamente amazônicas, cantata de Natal, exposição de desenhos, poesias e frutas regionais. A Prefeitura de Belém por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semec) realizou na manhã desta terça feira, 16, o I Sarau Cultural: Saberes das Ilhas em Foco. O evento ocorreu no igarapé Combu, na quadra do Adilson.


Durante o sarau também foi lançado o livro “Coisas de Criança”, pelo projeto escolar Pequenos Escritores. O projeto valoriza a aprendizagem, de acordo com a cultura dos alunos das ilhas.

“Foi um projeto que começou pelo interesse dos nossos próprios alunos onde nós procuramos unir o que para eles é mais significativo. Eles amam escrever e desenhar”, afirmou a professora da Unidade Pedagógica (UP) do Combu e orientadora do projeto, Vanessa Costa.

A produção aconteceu de forma coletiva e foram selecionadas histórias como “O pescador e a Iara” e “Uma amizade no fundo do Rio Combu”, a produção do livro durou cerca de oito meses.

No I Sarau Cultural os alunos fizeram uma exposição lúdica e criativa de suas vivências, é importante destacar a significância do evento no desenvolvimento psicosocial de cada participante. Para as crianças da região, qualquer atividade é motivo de curiosidade, interação e alegria.

“Estou super animada em estar aqui participando com meus colegas, vou fazer o que mais gosto, que é dançar. Esperei tanto por isso que não consegui dormir de ansiedade, pois este é um momento único e especial de mostrarmos a forma como vivemos”, frisou a aluna do 2º ano, Rayla Silva. “As pessoas têm que valorizar e olhar mais para a nossa cultura, porque o que temos aqui é nosso. O barco é o nosso meio de transporte, é isso que eu amo aqui”, completou a aluna.


Trabalhos com teatro, música, criação de desenhos e produção de texto são desenvolvidos nas Unidades Pedagógicas também como um estímulo para o aprendizado. “Procuramos fazer com o que os alunos se reconheçam como o ‘sujeito’ na produção dos livros, desenhos. Dessa forma, podemos explorar com mais qualidade as suas habilidades e competências”, disse a Coordenadora da Unidade Pedagógica (UP) do Combu,Vanessa Brito.

Para a aluna Flávia Quaresma, do 3º ano, o momento foi de felicidade. "No evento vejo as pessoas sorrirem para mim, faço amizades e é muito bom, pois fico muito sozinha em casa e não tenho amigos. Na escola tenho a oportunidade de desfrutar de tudo um pouco, lá faço amizades e compartilho momentos legais com cada um”, contou a aluna cadeirante.
A Coordenadora da Educação no Campo, Silvia Oliveira, acredita que esta interação das UP’s fortalece os laços entre os alunos das ilhas. “É possível proporcionar este momento de intercâmbio das seis unidades às diversas faixas etárias”, concluiu.  

Texto: Natasha Albarado
Foto: Acom/Semec
Secretaria Municipal de Educação (Semec)

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Escola Municipal é premiada em 2º lugar no Concurso

Alegria e orgulho são os sentimentos que predominam em todos os educadores e alunos da Escola Municipal de Ensino Infantil e Fundamental República de Portugal. O motivo foi a premiação que proporcionou o 2º lugar à escola no 15º Concurso Calendário Sindcon de frases e desenhos”, realizado pelo Sindicato dos Condomínios do Pará (Sindcon-PA). O tema abordado foi O direito de ser da criança.
O concurso é de culminância anual e reuniu cerca de quatro mil trabalhos de 198 escolas, sendo este o terceiro ano consecutivo que a Escola Municipal República de Portugal participa e é classificada com boa colocação.  “Foi muito gratificante obter o 2º lugar na competição e estar competindo junto com os colégios particulares. Este é o resultado de um bom trabalho realizado pela Prefeitura de Belém junto à escola, pois hoje somos uma escola municipal de qualidade desde a estrutura até a equipe gestora”, afirmou a diretora, Cleide Coelho.


Os dois alunos do 4º ano, responsáveis pela premiação dizem estar felizes e motivados para participar de outros concursos e trazer méritos à escola.  Kayk Borges, com a frase inscrita “Criança não tem o direito de dormir no papelão. Criança tem direito é de dormir no colchão”, diz que não esperava a classificação e se sentiu envergonhado, mas alegre."Fui recebido como a estrela do colégio, meus colegas de classe falam que estou famoso e que me viram na televisão”. É a primeira vez que Kayk ganha um concurso e explica que o que motivou na elaboração da frase foi a preocupação com o número de crianças abandonadas que vivem nas ruas. “Agradeço à minha escola pelo incentivo e ensino repassado e à Prefeitura de Belém que muito tem apoiado as escolas nos fazendo viver oportunidades únicas como esta", concluiu com gratidão o aluno.
Para Robert Braga, a premiação já era esperada pelo preparo que teve junto aos colegas no decorrer do ano. A sua frase “As crianças tem que parar de sofrer bullying, exploração e apanhar dos pais” repercutiu em sua história de vida, desabafa “moro em um trailler, meus pais são separados e sofro preconceito pela minha cor, este foi um dos motivos que me fez escrever”.
Pedagogicamente, a escola faz o acompanhamento curricular diário com professores e alunos e já são muitos os projetos de incentivo à leitura e produção textual, dentre os quais se destaca o projeto “Clube da Leitura na biblioteca”, bem aceito pelos alunos. A orientadora Ivaneide Melo afirma continuar o desenvolvimento deste trabalho de incentivação por meio de exibição de vídeos, leituras e interpretações de texto.
A cerimônia e entrega dos prêmios aconteceu na última sexta feira, 05, no Teatro Maria Sylvia Nunes, na Estação das Docas. Além de troféus, foi entregue aos alunos vencedores uma quantia em dinheiro, certificados e as frases selecionadas figuradas no Calendário 2015 do Sindcon-PA.

Texto: Natasha Albarado
Foto: Acom/Semec
Secretaria Municipal de Educação (Semec) 

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Semec realiza confraternização de fim de ano entre os funcionários.

O fim de ano está chegando e com ele, o momento oportuno de reunir pessoas que fazem parte de nosso cotidiano a fim de consolidar laços de amizade em todos os ramos da vida. Na Secretaria Municipal de Educação (Semec) não poderia ser diferente e o início da manhã desta quarta-feira, 10, foi fadado a uma estimada confraternização natalina que reuniu os funcionários no salão pérola, localizado no próprio órgão. Alegria, diversão e atrações diversificadas alegraram o dia que contou com um magnífico café da manhã por iniciativa e grande incentivo da Secretária Municipal de Educação, Rosinéli Salame.


Para a Secretária este é um momento de pura gratidão. “A confraternização é um agradecimento pessoal a cada servidor que contribuiu para a educação deste município. A idéia é proporcionar cada vez mais aos funcionários da Semec os sentimentos de perdão, amor e união para irmos muito além”, destacou Rosinéli Salame (Secretária Municipal de Educação).

O grupo "Trovadores da Alegria" da Escola Municipal Enestina Rodrigues realizou a cerimônia de abertura do evento e contagiou emocionalmente a todos os servidores que ali estavam presentes com o espetáculo "Estrelas apontam para os Natais de um Norte", o que tornou o ambiente repleto de boas vibrações e ânimo. O espetáculo que é uma história do escritor paraense Daniel Leite proporcionou descontração, risos, interação do público e atividades que fogem do cotidiano. Em seguida, os servidores participaram do ato ecumênico realizado pelo Pastor Carlos Cancela da “Igreja do Evangelho Quadrangular” e Estela de Morais, diretora de Doutrina do “Centro Espírita Vinha de Luz”, onde foram repassadas mensagens reflexivas. 



“Achei muito bom, o que mais me chamou atenção foi a cerimônia religiosa onde pudemos desfrutar de pensamentos de religiões diferentes. Acredito que este foi mais um momento oportuno para conhecermos melhor uns aos outros e vivenciar uma manhã divertida com cada colega de outros departamentos. Essa oportunidade nos possibilita até mesmo fazer novas amizades dentro do ambiente de trabalho”, frisou a funcionária do Departamento de Controle Interno, Marileia Ferreira.  


Texto: Natasha Albarado
Foto: Acom/Semec
Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) 


segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Ação de prevenção ao câncer de mama e de próstata alerta servidores

Orientações sobre prevenção e conscientização a respeito do câncer de mama e de próstata marcaram a manhã dos funcionários da Secretaria Municipal de Educação (Semec), nesta quinta-feira, 27. Em parceria com o Hospital Ophir Loyola e a Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), o Núcleo de Atenção à Saúde do Trabalhador (Nast) da Semec realizou o evento “Um Toque pela Vida”, que teve como objetivo explorar as temáticas abordadas nas campanhas “Outubro Rosa” e “Novembro Azul”.

“O câncer está dentro da nossa realidade e do nosso laço familiar, então, chamar atenção para a importância da prevenção e desmistificar essa doença por meio dessas ações é muito importante”, ressaltou a diretora geral da Semec, Luanda Freire.

Durante o evento, a importância do diagnóstico precoce e a saúde do homem também foram temáticas abordadas. “Acho muito interessante que esses temas sejam abordados assim, no nosso dia a dia. Nós, homens, temos vergonha de procurar informações, e ações como essa fazem com que prestemos mais atenção ao cuidado que devemos ter com a saúde”, disse o coordenador da equipe de informática da Secretaria, Wandeson Monteiro, de 42 anos.
O Outubro Rosa é um movimento popular internacionalmente conhecido, que acontece anualmente em todo o mundo. O nome remete à cor do laço que simboliza a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades com objetivo de aumentar a informação e a conscientização sobre a doença. Já o Novembro Azul é internacionalmente dedicado às ações relacionadas ao câncer de próstata e à saúde do homem. O mês de novembro foi escolhido porque no dia 17 é celebrado o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata.

“Os meses de outubro e novembro estão voltados para essas duas campanhas mundiais, que visam à prevenção desses dois tipos de câncer. Então, aproveitamos para encerrar o mês com esta ação, com objetivo de conscientizar e alertar os funcionários e gestores que estão aqui presentes. Uma vez informados, esperamos que atuem como multiplicadores, ajudando a conscientizar amigos e familiares também”, enfatizou o técnico do Nast, Jorge Gama.


Apresentações culturais, com o grupo de expressão folclórica da melhor idade do Palacete Bolonha, e a realização de testes de glicemia também fizeram parte da programação. 

Texto: Andreza Carvalho
Foto: Acom/Semec
Secretaria Municipal de Educação (SEMEC)

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Escola ainda recebe doações para ajudar família de vitimas em naufrágio






A Escola Municipal de Ensino Infantil e fundamental Ogilvanise Moreira de Moura, localizada no bairro de Icoaraci, ainda está recebendo doações de alimentos não perecíveis para ajudar a família das crianças que morreram vitimas de um naufrágio ocorrido próximo à ilha de Jutuba, no dia 17. Maria Gabriela Carvalho, de 6 anos, era aluna da escola e estudava na turma do Jardim II na instituição. Além dela, o seu irmão Edson Pereira Carvalho, de 2 anos, também morreu no acidente.
Comovidos com a situação, alunos e professores da Escola junto com a comunidade do entorno participaram na última terça-feira, 25, de um culto ecumênico em ação de graças às crianças que se salvaram no acidente, e também prestaram solidariedade a família das vitimas. O culto ocorreu na quadra poliesportiva da escola.
A comunidade escolar também se reuniu com moradores da área, e arrecadou alimentos que foram doados para a família após o culto. A arrecadação contou com uma ampla participação dos estudantes, que mesmo vivendo em uma área carente, não mediram esforços para ajudar ao próximo. Para a diretora escolar a mobilização mostrou o engajamento e o sentimento de solidariedade dos alunos.

 “A nossa ação nos surpreendeu muito, as crianças que estudam na escola são crianças carentes, mas mesmo assim, todos eles procuraram dar o melhor para ajudar a outra família que perdeu as crianças. O que a escola enfatizou foi que, quem compartilha multiplica, não só o alimento, mas a caridade, o apoio, e a solidariedade. A gente percebe que a solidariedade é inerente ao ser humano, cada um doou o que pode para ajudar essa família”, afirmou a diretora da escola Marlete Pinho, uma das idealizadoras da ação. Quem quiser doar alimentos não perecíveis, basta ligar para 988064108 ou 984066175.

Educação de jovens e adultos do município atende mais de 7 mil em Belém



A Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semec), amplia a cada ano os projetos e programas que buscam educar jovens e adultos, que por motivos diversos não concluíram seus estudos. O assunto foi destaque na tarde desta quarta-feira, 26, no programa “Educação e Cidadania”, na Rádio Nazaré.
Durante a gravação, a diretora de educação da Semec Socorro Aquino foi entrevistada e falou sobre os objetivos e desafios que a educação de jovens e adultos possui, principalmente para evitar a evasão dos alunos. Ela também ressaltou a motivação que os professores devem passar aos seus alunos para chegarem até a conclusão do ensino fundamental. Enfatizou ainda, que o trabalho da Secretaria Municipal de Educação não está voltado somente para o letramento dos alunos, mas, também, há a preocupação com a iniciação e capacitação profissional dos estudantes.
“Alfabetizar jovens e adultos é totalmente diferente de crianças. Os professores possuem formações especificas para terem práticas pedagógicas que estejam de acordo com a realidade e cultura dos alunos”, ressaltou Socorro Aquino.
A Educação de Jovens e Adultos (EJA) é uma modalidade de ensino da educação básica, que atende estudantes com idade a partir de 15 anos. A EJA realizada pela Semec tem a duração de quatro anos e equivale a conclusão do ensino fundamental. Hoje, são atendidos 7486 alunos, distribuídos em 222 turmas, em 43 escolas. Além da educação formal, o município também desenvolve o Projeto Piloto de Iniciação para o Mundo do Trabalho e de Geração de Renda, vinculando educação e trabalho e de acordo com as Diretrizes Nacionais de Jovens e Adultos e ao documento Marco de Belém (VI CONFITA), com cursos de informática básica, customização, estamparia e artesanato, desenvolvidos em quatro escolas municipais.
A equipe técnica de educação de jovens e adultos desenvolve ações de assessoramento e acompanhamento técnicos pedagógico, formação continuada, mutirão pedagógico e acompanhamento do projeto Extra Escolar, EJA Cultural.
Também com objetivo de conclusão do ensino fundamental, a Prefeitura de Belém, em parceria com o Governo Federal,realiza o  Projovem Urbano na capitalparaense. O Projovem Urbano possibilita a conclusão do ensino fundamental no período de 18 meses para jovens de 18 a 29 anos. Além da oportunidade de concluir os estudos, o programa oferece aos alunos a qualificação profissional inicial em diversas áreas, como: serviços pessoais, telemática, alimentação e turismo – hospitalidade.

O Movimento de Alfabetização de Jovens, Adultos e Idosos (MOVA), em Belém, também é executado pela Semec e tem como propósito alfabetizar pessoas que não tiveram a chance de frequentar as salas de aula no período adequado. Para isso, conta com a parceria de escolas municipais, igrejas e centros comunitários. Ao todo, 170 professores e 25 coordenadores integram o programa. Para ser alfabetizador do Mova é preciso ter o Ensino Médio completo e disponibilidade para ensinar e participar das formações continuadas antes e durante o projeto.
Texto: Andreza CarvalhoFoto: Ascom Semec
Secretaria Municipal de Educação (SEMEC

Merenda escolar regional é notícia na TV Nazaré


Na manhã desta quarta-feira, 26, a TV Nazaré, emissora paraense, produziu uma reportagem sobre os alimentos regionais que são utilizados na merenda da rede municipal de ensino de Belém. A equipe do veículo esteve na Escola Palmira Oliveira Gabriel, no bairro da Pedreira, onde o cardápio servido foi açaí com farinha de tapioca.
 O açaí com farinha de tapioca é uma das opções de maior sucesso entre os alunos, de acordo com o relatório de aceitabilidade da Fundação Municipal de Assistência ao Estudante (Fmae). “Minha mãe nunca mais comprou açaí para a minha casa, o que me deixa triste. Mas agora eu tomo aqui na minha escola. Eu sempre tomo duas vezes porque eu adoro”, contou a aluna Larissa Silva, do Jardim II, uma das entrevistadas pela reportagem.
 O açaí consumido pela rede municipal de ensino vem da produção da agricultura familiar, que também fornece outros alimentos regionais, como: o jambu, a chicória, o cariru, a pupunha, entre outros.
“O cardápio é elaborado pela equipe de nutricionistas responsáveis, respeitando os hábitos alimentares, a cultura alimentar da localidade e uma alimentação saudável e adequada para cada faixa etária”, afirmou a coordenadora de nutrição da Fmae, Carmem Brandão. 
Texto: Jolse Quinto
Foto: Tássia Barros – Comus

Secretaria Municipal de Educação (SEMEC)

Projeto de horta escolar é destaque novamente na imprensa nacional




Distante cerca de 30 minutos de barco da ilha de Mosqueiro, a Unidade Pedagógica Maria Clemildes, localizada na comunidade do Caruaru, será a próxima escola a ganhar visibilidade nacional no jornal “Fala Brasil”, da TV Record. Uma equipe do veículo acompanhou, nesta quarta-feira, 26, a implantação de uma horta escolar na unidade.
A iniciativa faz parte do projeto “Educando com a horta escolar e a gastronomia”, executado pela Fundação Municipal de Assistência ao Estudante (Fmae), da Prefeitura de Belém, cujo objetivo é fazer com que os alunos participem de todo o processo da construção da horta até a colheita e degustação dos itens, e, paralelamente, repassar a eles conteúdos pedagógicos de disciplinas como Ciências, Geografia, Matemática, entre outras.
Assim, além de um espaço de cultivo, o projeto acaba funcionando como um laboratório vivo. “Os alunos participam de toda a descoberta e, depois, passam a consumir esses alimentos durante as refeições”, explicou a nutricionista da Fmae, Priscila Lins.
Para o ano de 2014 estava prevista a implantação de apenas cinco hortas escolares, mas, até agora, 18 já foram criadas. A proposta, com o sucesso do projeto, é de que todas as unidades de educação de Belém sejam contempladas com uma unidade. Cada escola beneficiada recebe instrumentos para a criação da horta, como carro de mão, mangueira, regador, sementes e enxada, por exemplo.
Durante a implantação da horta escolar na unidade pedagógica, os alunos puderam conhecer mais sobre os vegetais. Para o estudante Willam Souza, de 11 anos, o cultivo de alimentos é rotina. “Meu pai planta mandioca para fazer farinha e vender. Eu sempre acompanho tudo. Agora, vou poder plantar outros vegetais e saber mais sobre eles”, disse. Entre as mudas que foram plantadas na escola estão a do jambu, chicória, couve, cheiro verde, entre outras. 
O projeto chama atenção, entre outras questões, por conta dos altos índices de obesidade infantil no Brasil. A rede municipal de educação de Belém já conta com uma alimentação baseada em alimentos saudáveis, como frutas, verduras, peixes e carne, todos oriundos da agricultura familiar.
Para o presidente da Fmae, Walmir Nogueira, o projeto tem o diferencial da participação dos alunos. “O projeto interliga três questões importantes para a educação que são: a ambiental, a nutricional e a pedagógica. Além disso, com a prática na escola é possível melhorar a alimentação de forma sustentável”, afirmou.
Texto: Aline SaavedraFoto: Ascom SemecSecretaria Municipal de Educação (SEMEC)

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Prefeitura disponibiliza link para consulta do cartão Caixa

A Prefeitura Municipal de Belém disponibiliza a todos OS Servidores Públicos Municipais, Que fizeram o cadastro na Caixa Econômica Federal, um elo Para Que possam saber a qua Agência pertencem, se para o Caso, finalizar o Contrato de Abertura da Conta e, se estiver Já Disponível, Receber o Cartão. Para Acesso ter, basta Clicar no link ao Lado "Consulta de Contas Caixa".